28 de mar de 2011

Telefone

Nossos hábitos de comunicação estão mudados, por certo que devemos nos ambientar com as novas maneiras para em meio ao dia a dia corrido não perder o contato com o mundo.




O senso de oportunidade deve comandar os contatos telefônicos. Pessoas, geralmente desocupadas usam o telefone sem a consideração devida àquele que esta sendo chamado. Assim, após começar uma conversa comprida sem perguntar se o interlocutor esta com tempo disponível é descortesia.

Também é pouco delicado pedir a alguém para fazer uma ligação para nós, e deixar a pessoa para quem se ligou aguardando na linha. O interessado é quem chamou e esta havendo uma inversão nos papeis.

Alias deixar esperando a pessoa para que se fez a chamada é sempre falta de tato e delicadeza.



Horário



Deve ser viável. Não se conhecendo os hábitos da casa e/ou da pessoa antes das 10 da manha é indelicado fazer uma ligação e também não se telefona depois das 22 horas para quem não se tem intimidade.

(salvo urgência)

Sabendo-se que é em horário das refeições que se encontram ao dar o telefonema deve sempre haver a preocupação de perguntar: “Não estou interrompendo seu almoço?” Em caso afirmativo, a conversa será breve ou se combina voltar a chamar um pouco mais tarde. Nas ligações internacionais, antes de discar é conveniente olhar o relógio, lembrando a diferença do fuso horário.



Como falar



Deve-se procurar estar com a voz clara, pronunciando bem as palavras e dando uma inflexão amável para facilitar a boa compreensão da mensagem. Não se usa o tratamento de querida e suas variações para quem não se conhece, habito ainda mais inaceitável em telefonemas comerciais.

Existem frases que por serem chavões se tornam desacreditadas: “Ele esta um uma reunião”, “Deu uma saída” Por isso, não convem primeiro perguntar quem esta falando para depois dizer que a pessoa procurada não pode atender. Deve ser feito o inverso.

Em caso de demora da pessoa chamada chegar ao telefone, quem atendeu a ligação e pediu para aguardar desculpa-se e anota o numero de quem chamou para o contato ser feito mais tarde. Quando não se pode anotar um recado corretamente, é preferível pedir para um retorno em horário mais propicio.

É incorreto usar as secretarias para pedir informação sobre o que acontece na vida da pessoa chamada se ela esta ausente.

Num primeiro contato dá-se o nome por extenso e acrescenta-se o grau de parentesco ou de amizade com quem esta sendo chamada. Quando se trata de assunto profissional, quem chamou informa o nome de sua empresa e o objetivo de seu telefonema.



Celular



Quem aproveita as vantagens do telefone móvel não é seu escravo e sabe quando pode atendê-lo e mante-lo desligado. Com maior razão ainda que o telefone comum, ao fazer uma ligação pergunta-se sempre se a pessoa pode falar no momento, pois não se sabe onde esta. É igualmente indelicado quem faz uma chamada e logo prgunta onde o seu interlocutor se encontra. Recados podem ser deixados, mas cuidado em fiar-se nessa comunicação, porque há muita gente que passa dias sem ligar o seu celular.

No carro a legislação é bem clara. (salvo viva-voz). Ainda que todo mundo saiba em salas de diversão (cinema, teatro..) manter os aparelhos desligados é sinal de boa educação.

Evita-se andar na rua falando ao celular, quando chamar procurar algum lugar em que se possa entrar, evitando ficar batendo nas pessoas que passam enquanto se fala e ainda evita atrair assaltos.

Não se divide a atenção entre quem esta a nossa frente e a pessoa com quem se fala pelo celular. É cruel falta de consideração para ambos. Pede-se sempre licença para atender uma chamada, nos afastando um pouco, falando baixo e apenas o necessário. Ao retornar a conversa se pede desculpas.

É sempre sinal de consideração, quando alguém chama pelo celular para tratar assunto de nosso interesse, nesse caso pedir para desligar e retornar a ligação, nos responsabilizando pela despesa.



Quem se despede



A iniciativa de encerrar um telefonema cabe a quem chamou. Se houver pouco tempo, há frases convencionais: “Deves estar ocupado...” “Não quero importunar mais..” Ou ainda; “ Preciso desligar..”, seguidas da despedida. Quando a pessoa chamada deseja interromper a ligação se desculpa deixando claro que o mais cortes seria aguardar as despedias da outra, mas que naquele momento esta ocupado, Toda vez que houver visitas e o telefone comum tocar, deve-se pedir licença para atender.



Trivial. Simples. Natural.



Começando

Efetivamente nossa maneira de viver mudou e muito como resultado de uma adaptação necessária, de um ajustamento lógico e oportuno sendo assim, fazer concessões aos novos costumes sem, contudo, perder o respeito pela tradição.


Uma coisa porém é certa: nunca as boas maneiras foram tão necessárias quanto agora. Bons hábitos de correção e elegância nos obrigam a observar a Etiqueta, observar a matéria equivale a procurar aprender as normas, o que é ao mesmo tempo, uma prova de superioridade de espírito e de confiança na própria capacidade de adquirir novos conhecimentos (ou hábitos) e coloca-los em pratica.

Algumas regras devem ser aprendidas de cor, como qualquer lição. Aprender a guarda-las é descobrir suas graduações e esforçar-se por aplicá-las até adquirir inteira naturalidade. A polidez passará rapidamente a fazer parte da nossa própria personalidade, suavizando as arestas, corrigindo hábitos, enfim aprimorando o lado amável, cordial e simpático que existe em todos nós sob uma falsa camada de indiferença ao charme das boas maneiras. Assim, uma vez vencidos os obstáculos iniciais, teremos conseguido ser nós mesmos, mas, favoravelmente melhorados.

Não pense nem por um minuto que as regras vão obrigá-lo a sair por ai beijando todo mundo, lisonjeando uns e outros. As pessoas podem se bem educadas e sociáveis ao mesmo tempo em que mantêm uma atitude positiva, simpática e natural. Alias jamais seremos verdadeiramente polidos se não conseguirmos ser simples, naturais e amáveis para com todos. As pessoas mais encantadoras são aquelas que parecem príncipes entre os príncipes e plebe em meio à plebe. Entendam. Digo que a cortesia se baseia na horizontalidade do relacionamento. Sejamos iguais, seja você sempre o menor em meio aos seus amigos, o solicito é sempre mais elegante sob qualquer ótica.

As regras só parecerão artificiais ao leitor na medida em que cada um não fizer um exame sincero de si próprio a fim de conhecer os seus deveres para consigo mesmo e para com o mundo que o cerca.

Concluindo, seguir-las sem perder o senso de equilíbrio é conquistar a liberdade e a segurança perante si mesmo e perante a sociedade.

O amplo sentido da elegância




Há algum tempo defini elegância como um todo difícil de ser julgado separadamente. Ela tem uma latitude muito maior, um sentido muito mais amplo Abrange a boa educação, as normas de conduta e caráter, enfim todo um sistema de vida. Inclui desde a maneira de tratar as pessoas, expressar-se, escrever, manter as amizades, respeitar os ausentes, conduzir os negócios, dirigir, tomar e/ou dar lugar num coletivo, entrar num táxi, entrar ou sair do elevador, sentar-se e levanta-se, cumprimentar, pedir licença, agradecer, e, acima de tudo a suprema elegância de desculpar-se.



A mulher elegante

A mulher elegante é aquela que se veste não só de acordo com a moda e com o seu tipo, mas apropriadamente para cada circunstancia? Por certo que sim. Mas não apenas isso. A elegância da mulher tem estreitas conotações com o seu modo de ser e de viver.

É elegante na decoração da sua casa, na organização das suas reuniões, na hospitalidade com que recebe os amigos, na discrição com que se refere às amigas, na delicadeza com que presenteia e simplicidade com que agradece. Aceita as homenagens não como se lhe fossem devidas, mas por polidez para com aquele que a homenageia. É elegante na direção de seu carro, na pratica dos esportes e, principalmente, no antiexibicionismo. Mas é muito mais elegante na sua conduta familiar e social. E é ainda elegante no tratamento dispensado a todos que lhe prestam serviços. É elegante também no tom de voz e nas expressões. Não fala alto, não critica, na fofoca, não é desleal e tanto mais!





Provérbios 14:1 Toda mulher sábia edifica a sua casa; mas a tola a derruba com as próprias mãos.



O homem elegante



A esta altura, como qualificaremos o homem elegante? Aquele que sabe vestir-se correta e apropriadamente para qualquer ocasiao? Por certo que sim. Mas nao só isso. O homem verdadeiramente elegante nao se veste apenas com elegancia, mas de bondade e assim vive em estado de elegancia. É cortes e bem educado. Trata com deferencia (sem subserviencia, leia-se bajulacao) os seus superiores, com simpatica cordialidade os iguais e com superioridade amavel os que lhe sao inferiores, para o caso das relacoes de negocios. É atencioso e solicito para com os idosos. Homenageia a sua mulher com senso de humor e trata as outras com cortesia e austeridade. O homem elegante nao quebra a palavra dada, nao falta os compromissos sem um motivo justo, nao chega atrasado, nao se esquece de agradecer as atencoes recebidas nem de retribuli-las, nao grita, nao faz uso de palavrao, nao é maledicente, nao mente e nao é indiscreto. Por outro lado, ao classificarmos como deselegancia trapacear nos negocios, ser desleal aos amigos, estamos concluindo que elegancia é um todo indivisivel, e nao uma atitude circunstancial,

De onde se deduz que, para elegancia, nao ha uma definicao absoluta. Ligada como as qualidades de gosto, de bom gosto, de educacao de correcao moral e de apuro social, ainda assim nao é privilegio de alguns, mas de todo aquele que esta em harmonia consigo mesmo e com o proximo, como o seu tempo e com o mundo em que vive.

20 de mar de 2011

17 de mar de 2011

Seja verdadeiro também, por favor!

De uma hora pra outra assim, foi juntando pozinho de estrela num monte que não era de areia; e agora é tanta esperança dentro de mim que eu vim pra assoprar um pouco em você;


Não dormi ainda, Lucas ta hoje agitado dormiu cedo, acordou tarde, a vizinha de baixo, minha mãe..

Olha vou contar pra voces uma coisa, as vzs sinto vontade de me mudar pra muito longe, ja que meu lar posso carregar.

Meu lar sou eu e o Lucas. E a gente ainda ta pesando pouco. Rs.

Temos muito pouco e sabemos dividir quase tudo.

Hoje uma amiga me ligou, acho bem bonito ela se preocupar comigo pq os dias tem sido estranhos, eu sou muito ativa, sempre trabalhei, viajei, fui ver as coisas de longe e voltei, mas deu de ter um tempo pra aprender a ser servida e depender.

É. Esperar é Caminhar.

É isso?

Entendi direito?

Muitíssimo dificil. Confesso.

O argumento é a vida que me impos a solidão, como meio e solução.

Roda viva. E é pq escuto bossa, meu coração desapegado vou levando assim meio de lado já saindo, sem nunca me preocupar.

Li numa pasta de arquivos meus, esse texto e vou postar..

Quando terminar voces vão entender, ou não.

Voalá;

Um livro me ensinou assim; tem tempo de tempo em tempo que é tempo da alma gritar sa'aq.

Sa'aq é o clamor produzido pelo sangue de Abel na terra. Voces se lembram da historia de Caim e Abel?

Algo precisa mudar.

Será preciso desenhar para voce, que a minha ta ficando quase rouca de tanto gritar?!

SA'AQ! Caixa Alta.

Estamos todos emudecidos, atonitos, surdos a leste o edem.

Poucas pessoas me fazem pensar para mudar a menira de agir.

Pouquissímas pessoas me encantam. É verdade que a maioria me choca, e são sempre as mesmas coisas, parece que só muda os personagens.. As vezes passo aqui e fica o encanto de reler verdade de uma amizade que me faz sentir muito mais importante do que realmente sou. Alguém real. Jesus é real pra mim.

Ele é a pessoa com quem me encontro pra escrever linhas.viver caminhos.esperar por sonhos.

E a vida dorme ao meu lado e cresce menino. Esse amor furioso que não sei explicar.

Alguém me disse um dia, que eu nunca aprendi a amar, que nunca me amariam.

Dá vontade de ligar.

Se tudo o que nós temos ouvido, não for diregido e não gerar em nós desejo de transformação, qual o proveito?!

Qual caminho?

Aceito o protocolo. Conheço essa cor. Não consigo escrever uma linha e tudo me causa muita dor. Um peso.

É o Espirito falando em favor daqueles que desejam ver um mundo diferente. Esse nosso mundo todo dia.

No infinito e além de todos nós.

15 de mar de 2011

Dia-a-dia


Chego em casa e minha mãe me disse que teve uma reclamação da professora porque o Lucas deu um soco no coleguinha.

Ansioso pra saber o que eu falei, ele pergunta:

-Mãe violencia não é de Jesus né?!

- Não, não é meu amor, o que foi que aconteceu?

- Mãe o Lele, não entende que "m"tem som de "c" puque "m" é a letra de mamãe e mamãe sinifica Camila uai...

- Vou falar com Jesus pá ensiná o Lele pá ssiqueve as coisas, certas ai não vai te mais violencia na ssicola.





.





- Mamãe, eu já entendi essa cóquila (colica) sua é muito fafadinha.





- O que, filho???





- Todo tempo quando passa alguns seis,nove, quatro, dois dias ela vem de novo chatiar o nosso dia e voce nem quer mais cantar a musica do Arlelequim doulado.

14 de mar de 2011

Sobre todas as coisas, a saudade!

Há muitas razões pelas quais gostei  da mais nova queridinha dos ultimos tempos para a musica; Pixie Lott (ooops!) esqueci de falar que vi alguma coisa dela, na atualização do facebook, e lá uma das musicas mais tocadas nos ultimos tempos na playlist do celular; "use somebody". Mas você deve esta se perguntando;
porque a Camila esta falando isso?
-É que bateu uma saudade...




Ufff! ;/



Parece uma eternidade desde que eu ouvi a última vez a Vó Rais me chamar de menina arisca.

Meu apelido numero sei la qual; Mi, Marta Rocha, Arisca, Doce...



A vida, então, era outra.



Eu tinha uma avó querida, a Raimunda Ribeiro de Castro e Verçosa, que a vida toda me chamou por todos os meus apelidos, junto com todos os nomes dos seus filhos, netas e no final me chamava; anda menina arisca é com voce que to falando! E eu ia feliz da vida porque ela me ensinou a fazer bolinho de chuva e usar saia evase que era bem mais chic do que a mini saia.



Eu não tinha brincos de princesa despencando da janela da cozinha. Nem minigardênias exalando um cheirinho danado de bom da janela do meu banheiro. Nem dama da noite na porta de casa para perfumar meu nariz com outro perfume a não ser esse que fica grudado no meu pensamento. (perfume doce é surreal ) Nem uma amiga que começou a trabalhar na Verde que Te Quero Verde e me trouxe rosas colombianas que mais parecem de veludo. (sim, eu virei uma apreciadora de flores nesse intervalo)
Nem minha irmã mais velha não tinha arrumado as malas para embarcar no amor que ela acha possível. Nem minha outra a rapa do tacho tinha ido ver a vida tão de lá.



Foi tanto tempo que eu até pensei que nem sabia mais escrever algo como só pra me lembrar dos outros tempos. Tantas perdas - aparentemente nem tantos ganhos – que eu torci o nariz para falar de qualquer coisa que nao fosse as revoluções inside.. (e daquela outra palavra que também começa com T e me causa calafrios). Porque menos e menos eu acredito em maria-vai-com-as-outras. Prefiro quem nade contra a corrente e seja incrivelmente servo do outro.



Eis que hoje eu sento para esperar minha mãe chegar do medico, e eu presa para o lado de fora do hall ouço vindo da academia as novidades musicais e encontro a musiquinha mais cantada em casa pela mamae, e bailada pela Vó Rais, a quem eu sempre recorro em busca de uma esperança para o tedio de uma mente sem lembranças.  Clica, pra ouvir; Isn't She Lovely na voz da Pixie Lott

 Minha Vó reina absoluta como modelo primeiro da mulher sofisticada e doce, que amou meu avo até o ultimo dia de vida, e morreu pouquissimo depois que ele se foi.
"O amor é a solução para o refinamento de uma alma selvagem." via Raimunda Verçosa, é claro.

É um sentimento esquisito (para os outros, imagino) enxergar que a vida se renova numa musiquinha simplista na minha tarde de segunda brava e tediosa feira..

Mas se há um sentido maior e um sentimento mais atávico para o meu gostar de musica ele é o cruzar de dedos que a vida pode melhorar e ficar mais bonita logo mais, por isso obrigada Juju! Curti meus momentos presa do lado de fora na chuva lembrando..

Sinto saudades e hoje no cultinho que pretendo com a mamae todas as segundas vamos cantar aquela que cantamos no dia que ela foi para o colo do nosso amado Pai Celestial;

Porque ele vive, posso crer no amanhã.

Porque ele vive, temor não há.

Mas eu bem sei, eu sei, que a minha vida.

Está nas mãos do meu Jesus que vivo está.



Dá um beijo na vovó de voces viu; a minha que me ensinou a cantar de hinos até  Stevie Wonder.
Isn't she Lovely? (Ela não é adoravel?)

9 de mar de 2011

O caminho


Diferente de nós ocidentais pós-modernos para quem o amor é percebido como um sentimento, uma emoção, um frio na barriga ou de alguns indivíduos ainda fortemente marcados pela austeridade moderna para quem o amor é uma decisão moral e um compromisso, para o apóstolo Paulo e mais amplamente para a tradição bíblica (Pv 30:18-19), o amor é um caminho.

O fato de ser caminho não significa que no amor não haja sentimento ou compromisso, mas significa que ele inclui estas realidades ao mesmo tempo em que as ultrapassa, engloba e transcende. Com efeito, nas Escrituras, a noção de caminho é metáfora para se falar da vida. A rigor, percorrer um caminho é o mesmo que viver a vida de certa maneira, segundo certa lógica e desde uma determinada perspectiva. Portanto, trilhar o caminho do amor é viver sob o princípio-amor, é viver na força e sob a dinâmica engendrada por esta realidade tão ordinária e tão sublime que é a caracteristica primordial do próprio Deus em nossas vidas. Deus é amor. O amor é o que Deus é, até aqui deu para entender?

Ao escrever aos crentes da cidade de Corinto – tendo diante de si o momento agitado da comunidade que lidava com conflitos, divisões e partidarismos de toda sorte – Paulo oferece em sua primeira carta uma possibilidade de conserto e solução. Tal, porém, não consistia em atalho simplista para fora do caos, em mero desvio de rota visando contornar os espinhos, mas o caminho na direção do encontro e da comunhão: a vivência concreta e cotidiana do amor. O apóstolo preferiu chamar este caminho de "sobremodo excelente" (1Co 12:31). Para Paulo estava claro: somente o amor podia tornar possível a vida comunitária; e, de modo mais particular, a vida-a-dois que não deixa de ser um microcosmos da vida em comunidade.

Para Paulo, então, o amor não é apenas um caminho, mas o caminho. (friso mesmo!)

Por que exatamente? O que a experiência de trilhar o caminho do amor acrescenta e traz às nossas vidas de tão especial? O capítulo 13 da primeira carta aos coríntios é a resposta do apóstolo a esta questão.



1. Somente o amor confere sentido à vida. (vv.1-3)

Nenhuma realidade humana tem o poder de conferir sentido a vida: nem a acumulação de riquezas, nem a fruição dos prazeres, nem a construção de uma imagem pessoal de sucesso, nem a obtenção da admiração das outras pessoas, e tanto o mais. Somente o amor pode fazê-lo. Nada que eu venha a fazer ou possuir terá proveito ou sentido se faltar o amor. Como disse o apóstolo Paulo, sem amor "nada serei".

De outra parte, onde há amor, há sentido e proveito. Pois o amor reveste de sentido a vida e a morte. Mesmo a realidade absurda e inexplicável do sofrimento humano passa a ter sentido na presença do amor. Pois se é verdade, por um lado, que em si mesmo o sofrimento não tem sentido, é verdade também, por outro, que quando sofremos para que outros parem de sofrer, o sofrimento se torna plausível e, até certo ponto, justificável. Mais ainda: ele confere dignidade e revela-se recompensador. Por isto o martírio é algo tão trágico, mas tão belo. Jesus viveu, sofreu e morreu para que a humanidade não mais tivesse que sofrer e morrer eternamente. Sua vida, seu sofrimento e sua morte tiveram profundo sentido – e proveito. Ele é o caminho. A personificação do amor, em seu sentido mais abrangente. Por meio da sua vida, fomos perdoados.

Jesus estava em Cafarnaum, e foi convidado por um fariseu para jantar em sua casa. Estando lá, Jesus contou-lhe uma parábola, assim: "Dois homens deviam a um certo credor. Um lhe devia quinhentos denários e o outro, cinquenta. Nenhum dos dois tinha com que lhe pagar, por isso perdoou a dívida a ambos. Qual deles o amará mais?". Então Simão, o fariseu, respondeu-lhe: "Suponho que aquele a quem foi perdoada a dívida maior". Após concordar, Jesus encerrou dizendo: "Mas aquele a quem pouco foi perdoado, pouco ama". (Lucas 7.36-47 NVI)

Somente vivendo dentro da realidade de JESUS em nós, podemos seguir o caminho.

Quando trilhamos o caminho do amor, aprendemos a viver para amenizar o sofrimento do outro. Isso, obviamente, não significa que recaía sobre nós a responsabilidade de fazer o outro feliz, pois não somos capazes sozinhos. Felicidade é uma conquista pessoal, interior. Contudo, podemos ao menos ajudar o outro a viver de forma mais leve. Todos deveríamos nos casar pensando nisso: em aliaviar as dores e cargas – o jugo – daqueles a quem amamos. Deveríamos nos perguntar se estamos dispostos até mesmo a sofrer privações e renuncias para que o outro não precise sofrê-las. Obviamente, esta é uma via de mão-dupla, embora Paulo afirme que seja tarefa do marido amar a mulher com tal abnegação (Ef 5:25-27). Este é um objetivo realista e certamente gratificante.

2. O amor nos faz pessoas melhores (vv.4-7)

Ao trilharmos o caminho do amor, deparamo-nos com paisagens diversas, atravessamos estações distintas e enfrentamos tempos variados de fartura e de escassez, de festa e de luto, de contentamento e de frustração. Tais variações demandam de nós flexibilidade e resistência, pois representam desafios que nos puxam para além de nossos limites e exigem superação. Assim, trilhar o caminho do amor implica crescimento, aprendizado, maturação. Nas palavras do apóstolo Paulo: é preciso "desistir das coisas de menino" (v.11). (Socorro Jesus! Ainda sou tão menina.)

Nos vv. 4-7, Paulo descreve o amor: é paciente, é benigno, não se ufana, não se ensoberbece… tudo sofre, tudo crê, tudo espera… Quem trilha o amor do amor, se expõe a influência destas virtudes e vai assimilando-as paulatinamente. Assim, quem ama vai se transformando em uma nova pessoa mais paciente, mais humilde, mais altruísta, mais bondosa, mais serva, mais cheia de esperança.

Vale notar que todas estas virtudes são virtudes relacionais, isto é, virtudes que orientam-se para a alteridade, para o outro. São virtudes que obedecem a lógica do "auto-esvaziamento" de Filipenses 2:5-9. Quem ama, se esvazia de si mesmo e faz a oração de João Batista tendo em mente a pessoa amada: "importa que ele cresça e eu diminua". Quem trilha o caminho do amor se torna uma pessoa melhor pois deixa de ser egoísta tornando-se alguém que vive segundo a lógica divina da gratuidade: "minha alegria é ver o outro feliz". Quem ama de verdade, se torna este tipo de pessoa.

Agora, já, nesse exato momento!

3. O amor nos abre o mistério do inefável (v.8)

Tudo passa nesta vida, mas o amor prossegue na eternidade. É claro que o amor que lá viveremos será diferente deste que conhecemos aqui marcado por nossa ambigüidade. De toda sorte, quem ama, vive no presente – ainda que de forma precária e limitada – o mistério do amor infinito, transcendente e perfeito. Quem ama, vive neste mundo uma espécie de antecipação de nosso destino final com Deus quando ele será "tudo em todos" (1Co 15:28).

O amor humano é assim uma espécie de aperitivo do amor ágape-divino que é o amor como ele deve ser. A experiência do amor humano é desta forma, um ensaio para a experiência do amor eterno, inefável. O amor do outro é metáfora do amor de Deus por nós. O fato de sermos amados aqui nos remete a experiência de sermos finalmente aceitos e acolhidos na eternidade por Deus, nosso Pai. Bem disse o apóstolo João: "quem ama conhece a Deus". Com efeito, a experiência de amar uma outra pessoa reveste nossa vida do sublime, do maravilhoso, de tudo o que é mais belo. Aquele pelo que suspira nossa alma nos está acessível através da experiência do amor. Quem ama vive no presente algo da eternidade.

Finalmente, importa frisar, que trilhar o caminho do amor constitui experiência abençoadora, porém demandante. Não é simples esta estrada. Há altos e baixos, curvas sinuosas, cenários belíssimos e outros não tão belos assim. O fundamental, contudo, é seguir caminhando. Prosseguir apesar de adversidades e lutas. Um dia de cada vez. Um dia depois do outro. Todos os dias. Quem trilha o caminho do amor com perservarança, sem se dar conta, pisa a eternidade.

Só quero saber o que fazer para encontrar o Teu caminho excelente pra minha vida. Sonda-me, traga a sua luz, não quero gastar meus dias, nem a minha vida com nada que não for da Tua vontade pra mim. Me dê a sua paz!

Guia-me pelo caminho eterno.


Ps: 1 por Camila Verçosa às 13:09 do dia 31/08/10, e só voltou porque foi o texto mais acessado do nosso ninho.
Também por ser algo que precisa ser comunicado, todos os dias principalmente para este passarin.


Ps: 2
Noutro dia surgiu a anedotinha, conto para voces;

Gostava dele, porque era ele. #tempos_depois. Gostava dele porque era ele, e, porque era eu.

É uma frase do Chico, isso mesmo o Buarque de Holanda que eu mandei pro @chicolatras e;

depois de hoje ficou assim;

O amo, porque é Ele. #nao_passa_um_minuto. O amo porque é Ele, e porque Ele é, posso ser eu.  @camilavercosa

 Bocó né? gente sou a mais bocó de todas, faltava confessar, seguir e não pecar mais. Rs. ;)
Ah contá proces que a anedotinha vai entrar como post, só agora editando saiu milz ...
Opá, obá baobá?!

Creio porque é absurdo.

DTA.

Let's go Regina.

Quando eu peço que Ele me traga certezas, a certeza que Ele me dá é de que está comigo. Numa noite de fragilidade, de arrependimentos, dúvidas e saudades, escuto bem no fundo a voz sempre suave;
vai dar tudo certo..
Quando escrevo, alguém me responde que vai, sim. E fica tudo um quentinho dentro do meu peito. Ai vem outra pessoa clica em “curtir”. E um terceiro me diz que a minha lealdade comigo mesma e com os outros o ajuda a ter fé no mundo. É ou não é, Ele que fala comigo de todas as formas? Sabe de uma coisa?


Ele veio pra falar com voce agora, aqui mesmo.



É. Clique em curtir também.

8 de mar de 2011

Sobe e desce.

Outro dia, eu tava num elevador, só eu e uma velhinha. Comecei a olhar para a senhora, seu vestido florido… E o meu, lembrei da Gadu cantando; ingenua de vestido assusta, afasta-me do ego imposto..


Voltei. Senti uma vontade louca de dizer para ela como era ridículo aquele nosso silêncio, aquele ‘bom dia’ tímido e aquele olhar pra baixo, um desviando do outro como se fossem dois fios desencapados que se entrassem em contato soltariam faísca. Eu queria chacoalha-la e perguntar: a senhora é feliz? A senhora é casada? Solteira? A senhora tem um lugar que vai e se sente plena se estiver conversando com o Criador de todas as coisas, é o seu quarto? A senhora gosta de filé de salmão? Não, minha senhora? Não é feliz? Não se sente plena em nenhum lugar? Não conversa com ninguém a muito? Não come filé há duas semanas? Então o que a senhora está fazendo aqui? Saia desse elevador e trate de arrumar um amor, um restaurante, uma aula de jardinagem, aprenda a tocar cuíca, minha senhora, a dançar tango, vá tomar sol, ou então tome um pouco de coragem e suspire profundamente. Tome logo! Daqui a pouco o medo acaba. Não por completo - o que já seria muito bom - mas a vida mesmo - o que é pior ainda. Eu, você, esse elevador, a coragem a nos rondar so esperando que a gente de espaco a ela, a cidade e a civilização que nos produziram acabarão também. Até o universo, dizem as más línguas, pode dar com os burros n’água qualquer hora dessas, eu acredito diferente, vai chegar o meu Salvador e resgatar todas as pequenas coisas, até a lagartixa..tanta coisa pra acontecer e nós aqui, brincando de desviar a vista no elevador. Não é ridículo?

2 de mar de 2011

A biblia é viva.

Sou uma moça descontraída de riso fácil e olhos vivos, não combino em definitivo com a imagem da mulherzinha que se faz vitima da vida, sisuda e só. A moça vivendo a transição mulher, igual a todas as outras. Saindo com prazer dos casulos que fui fazendo para mim ao longo dos breves 25 anos. Comecei a pouco procurando pela verdade que vem do relacionamento com o Senhor, venho hoje para encorajar você, foi Ele que me ajudou a superar o que naufragou as agruras do cotidiano e tudo o que é ainda cicatriz dentro de mim.


A alegria é uma força revolucionaria. A tristeza não deve ser o que você presenteia os outros no dia-a-dia.

Fiz uma reflexão sobre, amor e razão, ética e política, essência e aparência isso tudo estudando sobre Rute ( os 85 versículos que contam a historia da moabita, você pode encontrar clicando aqui; Rute )
 Priscila Vidal, obrigada!

O conhecimento, o pensamento, a decisão, o amor e a amizade fizeram uma gentia, entrar para a ascendência do Cristo. Você pode imaginar isso?

É muito bonito, encanta e ilumina. É o que Deus fez por todos nós. Um amigo disse; “Então Deus quer que eu seja Rute?”

De pronto dei algumas gargalhadas pois a imagem daquele amigo dizendo que queria ser Rute, foi deveras engraçada sabe.. Mas a resposta é um sonoro SIM!

Há pessoas que ficam ligadas no potencial delas mesmas, de suas historias, do seu povo, dos deuses a quem esse povo cultua.. E retrocedem quando se deparam com a complexidade dos desdobramentos das suas escolhas, das fatalidades de suas vidas.

Ao mesmo tempo, a ausência de postura pode produzir resultados ruins, feios. Num contexto em que as pessoas não estão acostumadas a refletir e agir, é muito mais possível que se tornem burocratas, amargas e apegadas às situações. Se elas não tiverem reflexão, não vão ter liberdade, noção sobre os valores sobre os quais estão agindo. Se você não reflete, não sabe o que faz. E, se não sabe o que faz, é capaz de fazer qualquer coisa. Até mesmo tendo aprendido sobre o Deus Vivo, se você não for capaz de refletir de se aliançar e partir para o novo e estando neste novo trabalhar, e se mover para prosseguir jamais conhecerá seu remissor. Rute fez isso.

Tento ser coerente com o que penso, mas muitas vezes não sou. Existe o inconsciente. Sou pobre, cega e nu, portanto carente da gloria de Deus todos os dias. Tenho mil conflitos, angustias e medos. Mas tento refletir sobre aquilo que esta acontecendo comigo. Nem sempre consigo agir nesse sentido. Renovação da mente em Cristo é uma busca, nem sempre é algo que está na sua mão apenas, mas a atitude de ir para o trabalho e colher aquilo que o Senhor proveu nos permite conhecer a face daquele que ira restaurar nossas vidas completamente. Todos os dias.

Aconteceu com Rute, acontece comigo. Agora.



Descansar é trabalhar.