27 de fev de 2012

Trè Chic

Chegam ao meu email vez por outra perguntas sobre como vestir o que, a que horas e de que maneira podemos fazer com que o homem e a mulher tenham o básico para serem elegantes sem sobretudo estarem desatualizados com o que vai aonde e a que momento.
Disse à uma amiga amada que como toda polidez me conquistou, é sempre questão de amor proprio e respeito ao proximo vestir-se adequadamente.

Vou aqui indicar um guarda roupas básico, com ele viajei milhas e milhas sem, contudo perder a elegância e a simplicidade.

Os básicos são pra vida toda. Roupas e acessórios que todo mundo deveria ter; clássicos de fácil coordenação entre si. Com boas peças você pode dar a volta ao mundo, sem perder a polidez e o estilo. Elas estarão lá, pra salvar você de qualquer situação e receberem os toques pessoais de estilo. O básico é o pano de fundo para a sua personalidade.
Para montar seu guarda roupas pense muito, pense em primeiro lugar no Senhor, no proximo, em você, na qualidade, no corte, no tecido impecavel... O objetivo é ter uma peça que vai durar, no minimo uma decada, portanto o investimento será amortizado seu semelhante não será defraudado e todo mundo vai ficar feliz.
Neste caso um gasto maior é mais econômico, não monetariamente (não somente) mas também você vai economizar-se a si vestindo de maiera elegante e que promova o Reino ao qual servimos.

E não pense você que não é relevante falar isso no blog do passarinho não, tenho visto atrocidades dentro e fora dos lugares onde nos, cristãos fazemos reuniões, de micro saias à transparências... Portanto aproveito a oportunidade para lembrar a vocês meninas e meninos o que Pedro disse;

1 Pe 3.3-6

3 O enfeite delas não seja o exterior, no frisado dos cabelos, no uso de jóias de ouro, na compostura dos vestidos;

4 Mas o homem encoberto no coração; no incorruptível traje de um espírito manso e quieto, que é precioso diante de Deus.

5 Porque assim se adornavam também antigamente as santas mulheres que esperavam em Deus, e estavam sujeitas aos seus próprios maridos;

6 Como Sara obedecia a Abraão, chamando-lhe senhor; da qual vós sois filhas, fazendo o bem, e não temendo nenhum espanto.

Vamos então à listinha;



Mulheres;

1 Blusa leve

1 camisa branca

1 camisa jeans

1 camiseta branca

1 camiseta listrada azul e branca

1 suéter ou cardigã de cor neutra (areia, marinho ou cinza)

1 colete fantasia, xadrez ou estampado

1 blazer preto

1 mantô de lã preto, marinho, caramelo ou marrom

1 saia preta

1 vestido preto

1 vestido de verão liso, e um estampado

1 calça caqui de pregas

1 calça preta

1 calça jeans tradicional

1 robe de chambre do tipo quimono

1 conjunto de moletom de cor neutra

1 short ou bermuda jeans ou caqui

1 maiô ou biquíni

1 cinto marrom

1 cinto preto

1 meia-calça preta

1 meia-calça cor da pele

1 par de meias soquetes marinho

1 par de meias soquetes brancas

1 par de meias soquetes pretas

1 escarpim preto

1 sapato baixo preto tipo boneca (bico arredondado)

1 mocassim marrom

1 sandália de cor neutra

1 tênis

1 bolsa preta

1 bolsa mochila marrom

1 bolsa pequena de festa, preta ou de tecido fantasia

1 boné ou chapéu para o sol. Se chapéu do tipo panamá.



Homens

1 camisa branca

1 camisa jeans

1 camiseta branca

1 camiseta cinza

1 camisa pólo colorida

1 suéter ou cardigã cinza, marinho ou preto

1 colete de lã colorido: bordô, verde, xadrez

1 jaqueta leve

1 blazer azul marinho fechado

1 blazer cinza chumbo

1 sobretudo preto, marinho ou caramelo

1 terno bege de gabardine

1 terno azul marinho

1 calça caqui de pregas, tipo gabardine de algodão

1 calça de flanela cinza

1 calça jeans tradicional, corte reto dark blue ou preta

1 conjunto de moletom de cor neutra

1 robe de chambre

1 short ou bermuda

1 calção ou sunga

1 cinto marrom

1 cinto preto

1 par de meias pretas

1 par de meias azul marinho

1 par de meias brancas

1 gravata

1 sapato social preto

1 mocassim marrom

1 tênis

1 boné ou chapéu para o sol, se chapéu do tipo panamá



Lembretes;

A roupa de baixo masculina e a lingerie feminina ficam por conta das necessidades de cada um.
E NÃO SÃO PARA MOSTRAR!
A calça fusô virou quase um básico.

Favor não usar sem meias, com as pedaleiras aparecendo.

O terno preto é supérfluo num guarda roupa básico, pode perfeitamente ser substituído pelo cinza chumbo ou pelo marinho fechado.

O terno de três botões pede que o ultimo fique desabotoado...

O cinto acompanha a cor do sapato.

Você pode achar que com o passar do tempo seu básico vai ficar fora de moda. De fato o básico deve ser atualizado de tempos em tempos.

Ex: Um blazer preto mais ajustado, outro tempo mais largo. São variações do mesmo tema, Mas sempre será um blazer preto.

O guarda roupa básico estará pronto para te acompanhar o resto da vida se você tiver a delicadeza das suas variações das eras da moda e não de cada estação.

Repetir roupa é coisa de gente chic, ajustada. Gente provinciana não repete por puro exibicionismo, num desejo infantil de mostrar algo novo, o tempo inteiro. Roupas de boa qualidade só melhoram com o tempo. Absurdo é montar um traje a cada dia!





Cordialmente,



Camila Verçosa

 
ps: Cabe argumentação.
Pelo email
camilavercosa@gmail.com
 

11 de fev de 2012

Sobre tudo que eu queria ser


Eu queria ser alguém pra valer a pena.

Eu queria ser mais, ser paz.

Eu queria ser mais legal, menos mal, menos o tal.

Eu queria ser mais simples.

Eu queria ser mais eu sozinho com todo mundo.

Eu queria ser menos muro, mais seguro.

Eu queria ser mais assertivo, menos fugaz.

Eu queria ser mais leve, mais passarinho.

Eu queria ser mais servo, mais amigo.

Eu queria ser meu, mais o favor.

Eu queria ser solteiro, eu queria ser casado.

Eu queria ser livre, menos preso.

Eu queria ser mais convicto, menos convencido.

Eu queria ser mais maduro, menos inconstante.

Eu queria ser mais bonito, menos feio, mais feio.

Eu queria ser mais bom dia, menos noite.

Eu queria ser menos produto, menos numero, mais gente.

Eu queria ser você, queria que você fosse eu.

Eu queria ser pai, queria ser família, queria ser nós.

Eu queria ser conhecido, queria ser mais escondido, mais quieto.

Eu queria ser a minha mãe.

Eu queria ter a coragem do meu pai.

Eu queria ter tido meu pai mais tempo.

Eu queria ser mais irmão.

Eu queria ser mais gratidão, menos ingrato, menos independente.

Eu queria ser mais amado, mais submisso, mais obediente.

Eu queria amar mais, me entregar mais.

Eu queria viver mais, não morrer sedo.

Eu queria envelhecer e ser um velhinho.

Eu queria ver meu enterro, queria todo mundo sorrindo.

Eu queria alegria no momento da partida.

Eu queria saudade sempre na presença.

Eu queria ser mais caminho, mais mãos dadas, mais estrada.

Eu queria ser mais tempo de voou.

Eu queria ser mais chocolate, mais doce, mais amável.

Eu queria ser mais cheiro, mais amor amor.

Eu queria ser Gabriel, queria ser Davi, queria ser Miguel

Eu queria ser tanta coisa.

Eu queria ser mais natural, mais sensacional, menos transcendental.

Eu queria ser menos usual, mais diferente, mais contente.

Eu queria ser mais verdade, menos e bem menos mentira.

Eu queria ser menos antítese, menos paradoxal.

Eu queria ser menos analogia, menos alegoria, muito mais fé.

Eu queria andar sobre as águas, eu queria voar com o vento.

Eu queria ser muito mais.

Eu queria ser vanguarda, eu queria ser pós.

Eu queria ser nós.

Eu queria ser obra aberta, menos enquadrado.

Eu quero ser como Jesus, eu quero ver Jesus.

10 de fev de 2012

#Punch

Lembrança





Conheci um senhor que sobreviveu a dois campos de concentração durante a segunda Guerra Mundial. Um na Alemanha por ser judeu e depois outro, na Rússia coitado, por ser alemão. Eu ainda era criança, e me lembro dele lá em casa contando que enquanto os presos mais atléticos morriam feito moscas, os intelectuais franzinos, mas que tinham vida interior, sobreviviam a todos os maus tratos. Seguiam vivendo apesar de tudo, num mundo criado dentro de suas mentes e coração.