22 de mar de 2014

Para você que me deu olhos


Antes é preciso lembrar que a mãe que Ele me deu é como a mãe adotiva, como uma tempestade; sempre trovejando. Mas ela não é tão forte quanto parece. 
Eu também não sabia cantar o hino à opressão que todos cantavam, não entendia porque as chamas lambiam o meu objeto favorito no mundo. O fogo queimava livros enquanto queria encher as paredes com o poder das palavras novas. E todas palavras que minhas são, são feitas de você, pra traduzir-te como o dia é Graça e mil cores, porque sei que d’algum modo você vive no porão gelado mesmo sabendo que “a memória é o escriba da alma. (Aristóteles) ”;  e que também não quer ver a morte lendo seus pensamentos, roubando as durezas do coração ou descobrindo sonhos, ou sentindo o que você sentiu durante tanto tempo tão de perto. Todo dia. 
  Leio. Leio pra você (e por você). A esperança soprou-me essa idéia. Penso poder um dia traduzir tantos dias coloridos, ou mesmo os cinzinas, e que essas traduções possam virar livros pra servir de remédio como sopa, calor, amizade, amor e palavras a fim de curar um pouco o horror que você vê e sente.
A morte nos contou que ao longo dos anos conheceu muitos jovens que pensavam combater o inimigo, e que elas acham que os homens eram o inimigo, mas que na realidade estavam correndo ao seu encontro. 
 E foram dias de muito aprendizado, silencio, cata ventos e palavras...
Escrevo. Escrevo, porque todo humano só estará vivo se viver dentro dele, a palavra secreta da vida.
Sempre perguntei ao papai; porque ser humano?  E ele respondia com uma cara de quem sabe a coisa mais sublime e doce; ora... Porque é preciso. Ele me lembra que as pessoas precisam de suas humanidades para saber da Cruz e nunca parar de ouvir o som do céu.
Desvencilhei-me dos braços da morte pelo Verbo que vivo faz vida onde puder achar fé.
Termino o escrevinho com os dizeres do Victor Hugo;
“É uma engrenagem.
Tome cuidado com essas linhas negras sobre o papel branco, pois elas são forças, combinam-se, compõem-se, decompõem-se, acasalam-se, trabalham. Uma linha morde, a outra aperta e esmaga, a outra subjuga. As idéias são as rodas da engrenagem. Vós vos sentis atraídos pelo livro. Ele vos soltará depois de ter dado forma ao vosso espírito.”

Aqui não é a rua paraíso. É só um lugar aonde o espirito da morte ainda passeia sendo assombrada somente onde encontra verdadeiros humanos. 

Obrigada, por ter me dado olhos.  
                        

Carinho meu pra você;  da porquinha. 

Paz. 



ps: Com a inspiração do livro e filme homônimos; “The Book Thief”. 
Te dou mais estas palavras. 

20 de mar de 2014

Poesia preferida











"Por viver muitos anos dentro do mato
Pegou um olhar de pássaro -
Por forma que ele enxergava as coisas
Por igual
como os pássaros enxergam."



Editado; Manoel de Barros. 


19 de mar de 2014

‘Salvem os Homens!’


         Amor não é aquilo que você sente de uma hora pra outra, amor você constrói aos poucos, com o tempo,   então ele vai se  tornando mais forte, e por ultimo ele se torna indestrutível.  - Jah Bless
                                                                                          

Gente eu sempre me surpreendo. Olha esse texto!
Simples e real.
Além da realidade da fé, do zelo, do serviço, da esposa que ora, que ama de fato e de verdade... tem uma pratica de alguém que esteve em UM RELACIONAMENTO SADIO por muitos muitos anos. 
Eu só quero deixar registrado pro caso de alguma menina desavisada. 
Bom, é isso. O que está em negrito/inclinado é grifo meu. 

Fernanda Montenegro; 


Tive apenas um exemplar em casa, que mantive com muito zelo e dedicação num casamento que durou 56 anos de muito amor e companheirismo, (1952-2008) mas, na verdade acredito que era ele quem também me mantinha firme no relacionamento. Portanto, por uma questão de auto-sobrevivência, lanço a campanha ‘Salvem os Homens!’
Tomem aqui os meus poucos conhecimentos em fisiologia da masculinidade
a fim de que preservemos os raros e preciosos exemplares que ainda restam:
1. Habitat
Homem não pode ser mantido em cativeiro. Nem você. Liberdade é uma estrutura onde a gente pode fazer escolhas.  Se for engaiolado, fugirá ou morrerá por dentro. Não há corrente que os prenda e os que se submetem à jaula perdem o seu DNA. Você jamais terá a posse ou a propriedade de um homem, o que vai prendê-lo a você é uma linha frágil que precisa ser reforçada diariamente, com dedicação, atenção, carinho e amor. O compromisso, o contrato e as verdades bíblicas sobre o casamento. 
2. Alimentação correta
Ninguém vive de vento. Homem vive de carinho, comida e bebida. Dê-lhe em abundância. É coisa de homem, sim, e se ele não receber de você vai pegar de outra. Beijos matinais e um ‘eu te amo’ no café da manhã os mantêm viçosos, felizes e realizados durante todo o dia. Um abraço diário é como a água para as samambaias. Não o deixe desidratar. Pelo menos uma vez por mês é necessário, senão obrigatório, servir um prato especial. Portanto não se faça de dondoca preguiçosa e fresca … Homem não gosta disso. Ele precisa de companheira autêntica, forte e resolutiva.


                                                               3. Carinho
Também faz parte de seu cardápio – homem mal tratado fica vulnerável a rapidamente interessar-se na rua por quem o trata melhor. Se você quer ter a dedicação de um companheiro completo, trate-o muito bem, caso contrário outra o fará e você só saberá quando não houver mais volta.
Dica de ouro; ORE com ele, por ele.. beije-lhe os pés, faça massagem, ouça, não fale tanto. NÃO SEJA CHATA! Não grite, e não fique tentando ser um "mano"... você será a sua mulher, sua amiga, sua companheira... 
4. Respeite a natureza
Você não suporta trabalho em casa? Futebol? Pescaria? Amigos? Liberdade? Carros? Case-se com uma Mulher. 
Não se case com mulher nenhuma! Homens são folgados. Desarrumam tudo. São durões. Não gostam de telefones. Odeiam discutir a relação. Odeiam shoppings. Enfim, se quiser viver com um homem, prepare-se para isso.

5. Não anule sua origem
O homem sempre foi o macho provedor da família, portanto é típico valorizar negócios, trabalho, dinheiro, finanças, investimentos, empreendimentos. Entenda! E o que der; apoie.
6. Cérebro masculino não é um mito
Por insegurança, a maioria dos homens prefere não acreditar na existência do cérebro feminino, mas não gostam de mulheres burras.
Por isso, procuram aquelas que fingem não possuí-lo (e algumas realmente não possuem! Também, 7 bilhões de neurônios a menos!).
Então, aguente mais essa: mulher sem cérebro não é mulher, mas um mero objeto de decoração. Se você se cansou de colecionar amigos gays e homossexuais delicados, tente se relacionar com um homem de verdade. Alguns vão lhe mostrar que têm mais massa cinzenta do que você. Não fuja desses, aprenda com eles e cresça. E não se preocupe, ao contrário do que ocorre com as mulheres, a inteligência não funciona como repelente para os homens. Não faça sombra sobre ele… Se você quiser ser uma grande mulher tenha um grande homem ao seu lado, nunca atrás. Assim, quando ele brilhar, você vai pegar um bronzeado. Porém, se ele estiver atrás, você vai levar um pé-na-bunda. Aceite: homens também têm luz própria e não dependem de nós para brilhar.

A mulher sábia alimenta os potenciais do parceiro e os utiliza para motivar os próprios. Ela sabe que, preservando e cultivando o seu homem, ela estará salvando a si mesma. E minha Amiga, se Você acha que Homem dá muito trabalho, case-se com uma Mulher e aí Você vai ver o que é Mau Humor! Só tem homem bom quem sabe fazê-lo ser bom! Eu fiz a minha parte, por isso meu casamento foi muito bom e consegui fazer o Fernando muito feliz até o último momento de um enfisema que o levou de mim. Eu fui uma grande mulher, ao lado dele, sempre.

Com carinho.



15 de mar de 2014

Boas maneiras no ambiente publico.

Todos os aspectos do comportamento humano têm importância, e revelam as boas maneiras ou a falta dela;  que não são outra coisa senão o respeito e reconhecimento entre as pessoas, é também um acordo para uma participação coletiva da qual depende o sucesso e a harmonia de todos. As normas da polidez não foram feitas para consumo exclusivo dos amigos, ou do relacionamento social. Por isso existem regras regendo todo o ciclo de nossas vidas.
Se costumamos ser sempre bem educados, por que os esforços nesse sentido cessariam nos ambientes públicos? Apenas porque a linha de conduta no trabalho/escola/faculdade faz parte de um sistema automatizado no qual são relações comerciais, sem tempo para perder com cortesias e amabilidades? Este é o tipo do conceito falso. Atualmente o trabalho passou a ser fator essencial não só de sobrevivência, como de realização para todos nós. Nessas circunstancias, o comportamento nos setores profissionais tornou-se fundamental.

O cumprimento do horário é uma questão de caráter.

Cumprimentar não quer dizer iniciar uma conversação. Um bom dia/boa tarde/boa noite/Até logo/ e suas derivações ditas num tom agradável e atencioso são mais do que suficiente. Evite as indiscrições. Se não houver nada amistoso para dizer agracie a todos com o seu silencio. A discrição é a palavra de ordem.
Quando precisar se ausentar, não invente, nem muito menos entre em confidencias e detalhes sobre sua vida. Explique-se corretamente e todos entenderão. 
Uma regra sobre todas: a vida no ambiente publico (no que diz respeito a relações e produção de trabalho/ escola ) e a vida privada de cada um nada têm em comum. São inteiramente distintas. Prestar serviços e trocar amabilidades não nos torna íntimos, mas bem educados. Pode-se ser polido e cordial sem perder a noção da distancia. Alias a posição ideal é o respeito mútuo.

Uma atitude clara e franca entre colegas de sexo oposto evita equívocos futuros.

 Procure ser atencioso e cordial.  Não deixe passar as ocasiões de prestar pequenos serviços. A reciprocidade será uma conseqüência.
Vista-se com elegância, sem exagero, evite o desleixo. Se a apresentação pessoal é importante para você, o é muito mais para o convívio social.
Não adquiria o hábito detestável de reclamar por tudo e por nada, não conteste por habito, nem muito menos faça comentários desagradáveis sobre a sua vida, o local onde trabalha e as pessoas com as quais convive, nem discuta sobre orientações recebidas. E não se irrite, nem se chateie por um simples não, ou por uma exigência a mais de trabalho. Não seja mal humorado e procure tratar bem a todos e, em conseqüência, receber igual tratamento. É da tolerância e das boas maneiras que depende, a boa convivência. Trate a todos com igual cortesia, prestando informações pedidas com clareza, sem demora e com entonação de voz agradável, dê prioridade ao que fala com você, abandone por um momento as suas atividades e olhe para quem lhe diz algo.
 Não obrigue as pessoas a sentirem as diferenças. Há dificuldades suficientes na rotina das horas de trabalho/escola/faculdade/cursos em comum. Aceite cada um as suas peculiaridades de comportamento, desde que os trabalhos corram satisfatoriamente.
Não demonstre o seu descontentamento; se houver necessidade de chamar a atenção, faça-o com respeito pela dignidade humana. Será uma chance a seu favor de resolver os desacertos e estima de todos. A indecisão, as insinuações e a arrogância corroem a autoridade e projetam uma imagem medíocre e desfavorável de sua pessoa.
Por outro lado, nem a sua pressa, nem o seu cansaço, ou a sua posição, nada, devem impedi-lo de concluir o seu dia com uma palavra de estímulo para com os outros.
Concluindo, qualquer que seja o seu lugar, não force suas atitudes. Mantenha uma posição firme e coerente, porém compreensiva e calma. Procure ser objetivo e claro sem impor seus pontos de vista exclusivamente pessoais. Reconhecer os próprios enganos e aceitar sugestões é uma prova de inteligência.
O bom gosto e a elegância não dependem do luxo. Aliás, estão quase sempre aliados à simplicidade. Temos o clássico: menos é mais.
E que Deus os ajude!


14 de mar de 2014


Não é que eu não goste mais de você, eu gosto de você, é só uma questão de lógica.
Se um dia isso tudo vai acabar, não é melhor acabar logo agora?
Já que vai terminar dando errado mesmo, pra quê esperar?
É claro que um dia vai dar errado.
A maior parte dos casais dá errado um dia. E as pessoas vão embora.
Por que haveria de dar certo justo com a gente?
Melhor ficar por aqui enquanto não deu errado ainda.
Pelo menos agora a gente ainda tem chance de ser feliz por aí
A gente é feliz, eu sei.
Então pra quê estragar?
É claro que o amor vai se gastar.
É lógico que um dia isso tudo vai passar.
É óbvio que a gente não vai ser feliz assim a vida inteira.
Não vai ser muito mais triste depois, quando a tristeza pegar a gente desprevenido?
Um dia eu vou me sentir infeliz com você, você vai pensar em outra pessoa, eu vou pensar que me sinto infeliz com você porque você pensa em outra pessoa, você vai pensar que pensa em outra pessoa porque eu me sinto infeliz com você, ou vice-versa.
Aí a gente vai brigar, vai se acusar, vai se culpar, vai ver que é melhor acabar, mas já vai estar muito mais acostumado um com o outro e vai ser ainda mais difícil.
Então a gente vai tentar mais uma vez.
A gente vai tentar mais uma vez não sei quantas vezes.
Vai ter hora que sou eu que vou pedir, vamos tentar?
Vai ter hora que quem vai pedir é você.
A gente vai alternar os papéis de vez em quando, um indiferente e um apaixonado, uma vítima e um culpado, um bocó e um tirano, a gente vai terminar se odiando.
Vamos deixar assim como está, eu gostando de você e você gostando de mim?
É difícil, eu sei.
Mas difícil mesmo vai ser um dia a gente se olhar e pensar, passou.
Vai ser muito mais difícil ver o amor diminuindo, diminuindo, acabando, ver o tempo que era bom ficando cada vez mais distante, a gente se lembrando de agora e pensando, tá vendo?, era melhor ter acabado antes.
Eu sei que é difícil.
Mas eu acho melhor a gente acabar aqui, Pessoa.
E só quando Pessoa desistiu de argumentar e foi saindo, triste, muito triste, ela gritou, "primeiro de abril!"
Primeiro ele riu. Então parou. E, antes de voltar, raciocinou um pouquinho.
Era uma questão de lógica. Se um dia aquilo tudo ia acabar, não era melhor acabar logo ali? Já que ia dar errado mesmo, pra quê esperar? Pensou que ia ser muito triste olhar pra ela um dia e pensar, passou. Pensou ainda que a tristeza tem essa mania de pegar a gente desprevenido. Mas a tristeza já estava tão longe dali, naquela hora, que nem metia mais tanto medo.
Então ele pensou, azar.
Aí, voltou.
E os dois morreram de rir.
E se beijaram.
E morreram de rir.
E se beijaram.
Vai ver eles pegaram a tristeza desprevenida naquele primeiro de abril, não sei, não posso afirmar, mas eu acho que ela foi embora de susto.
Só sei dizer que não voltou nunca mais e eles foram felizes para sempre, quem diria?


Aqui dentro sou igual a você, que faz tudo copiando a massa...

10 de mar de 2014

Carinho meu

meu amor.

Não poderia querê-lo como um soldadinho de chumbo, não poderia querê-lo como um caso, não poderia querê-lo como um flerte.

Não poderia procurar apenas diversão, não poderia passar o tempo, não poderia mentir, adiar ou fazer promessas.

Não poderia amá-lo e sair antes do sol entrar na varanda da nossa conversa infinita. Não poderia diminuí-lo com uma relação passageira, clandestina, de prazer egoísta.

Seria insultar sua inteireza. Seria ofender os sonhos de sua infância.

Não poderia tratá-lo como uma aventura. Uma utilidade. Uma facilidade. Um conforto. Alguém que me espera sem esperar nada. Alguém que procuro para esquecer o que procuro.

Sua vida não é migalha.
Minha vida não é sobra.

Ofereço tudo o que sou e é pouco para merecê-lo. Idoneidade.

Você é o homem de toda a minha vida futura. Arrumador de quadro na parede.

Você é o homem que viu a minha morte passada.

Tanto que não tenho medo de sofrer por você.

Só sofre quem é real.

Não tenho medo de penar, de chorar, de cair por terra, do mato arvorar em meu penamento.

Não tenho medo de ser magoado, de ser ofendido, de estar em suas mãos.

Meu medo era nunca conhecê-lo.

Tinha medo de não encontrá-lo. Tinha medo da inexistência do amor.

Tinha medo de que passássemos por aqui sem a coragem da primeira conversa, do primeiro abraço, do primeiro beijo.

Que ficássemos com outros só porque achavamos alguma correspondencia.

Tinha medo do conformismo, que aceitássemos menos do que o nosso amor.

Gargalhar por você ainda é uma alegria porque agora temos uma vida juntos. Temos memória para desafiar as superstições. Temos lembranças para provar que o amor de verdade não correspondia a uma loucura solitária ou uma invenção da carência. Nem foi mais uma invenção do homem.



ps: eu chego. tu chegas. nos chegamos. eles chegam. Chega o bem.
eu fico. tu ficas. nos ficamos. eles ficam. Bem Fica.