24 de abr de 2012

Mateus 28: 18-20

Jesus está reunido com seus discípulos e então lhes apresenta o que na historia da igreja ficou conhecido como a grande comissão (Mateus 28: 18-20). O discipulado é uma pratica negligenciada ou perdida na experiência da igreja contemporânea. Dallas Willard em seu texto chamado; “A grande omissão”, fazendo esse jogo, e confronto entre a grande comissão do discipulado e a grande omissão da igreja com relação ao fazer discípulos.


Eu concordo parcialmente de que isso seja verdade porque o discipulado é negligenciado como uma ação intencional. É raro aquele cristão, ou aquela comunidade que tem uma ação intencional na direção do discipulado que age de maneira consciente do fato de estar fazendo discípulos do Senhor Jesus Cristo. Mas também concordo que seja parcialmente verdadeira a afirmação de que a grande comissão se tornou uma grande omissão porque o discipulado é também mal compreendido, ou confundido; por exemplo, com doutrinação. Compreendemos que fazer discípulos é ensinar as pessoas às verdades das doutrinas do cristianismo e fazemos isso através de uma pratica pedagógica, ensinado princípios abstratos, verdades, conceitos filosóficos, teológicos geralmente fazendo afirmações categóricas, acrescentando ao lado uma meia dúzia de versículos que possam corroborar aquilo que estamos afirmando e depois verificamos se a pessoa de fato aprendeu, por exemplo: nenhuma condenação ha para os que estão em Cristo Jesus, onde está isso na bíblia? Se a pessoa souber responder é um bom discípulo, se não souber precisa ser melhor doutrinada, se nos perguntarmos a pessoa o que significa santificação?, Qual a diferença entre santificação e justificação?, A salvação é pela fé ou por obras? Nos confundimos, o discipulado com doutrinação, mas também com treinamento, achamos que capacitar liderança, ensinar as pessoas como dirigir um grupo pequeno, como atuar no ministério da igreja local como envolver-se na dinâmica de serviço de uma comunidade, com aperfeiçoar pessoas para que sirvam, chamamos isso de discipulado e confundimos treinamento, capacitação, formação de liderança com discipulado, confundimos também discipulado com um controle ou uma formatação comportamental. Quando a pessoa se converte a Jesus então vamos ensinar a ela que crente não bebe, não fuma, não joga, não faz sexo antes do casamento, que vai a igreja no domingo, o que elas podem fazer o que não podem os lugares que elas podem frequentar e os que não podem mais frequentar, e então se a pessoa se comporta direitinho dizemos que ela esta bem discipulada, se ela tem uma falha comportamental, então dizemos que ela precisa ser melhor discipulada. Finalmente acho que confundimos discipulado com inserção religiosa; quando alguém chega à igreja e ela não conhece nosso vocabulário, nossas musicas, então vamos inserindo as pessoas nas nossas manias religiosas paulatinamente, no começo elas não tem muita afinidade com a estrutura eclesiástica, com o organograma da igreja, com a grade de atividades, com a maneira que essa igreja esta organizada, quais são os seus fóruns representativos, a sua assembleia, então vamos inserindo as pessoas e dali a pouco elas estão formatadas religiosamente elas tem o vocabulário certo, usam as palavras certas, fazem as coisas certas, elas transitam bem na vida da igreja e se sentem “donas do pedaço”, então dizemos esta bem discipulada, e assim perfeitamente inseridas. E o batismo é essa porta para uma nova religião, antigamente tínhamos apenas os católicos nominais, mas hoje temos o evangélico nominal pelo senso do IBGE.Vemos de tudo, mas é religião, e as pessoas confundem discipulado com religião. E Jesus no texto, tem o discipulado não como doutrinação, nem formatação, nem inserção, o discipulado é um processo de aprender a viver, tem haver com a vida, porque Jesus disse que discipular implica em batizar em nome do Filho, do Pai e do Espírito Santo, e ensinar a obedecer a tudo o que Jesus ordenou, e fazemos isso, com livro, DVD, fita, sermão, reunião de pequeno grupo, seminário, simpósios, congressos, mas isso não é ensinar a viver, isso é disseminar a mensagem do evangelho. Discipulado é ensinar a guardar e a viver o que Ele nos ordenou, por exemplo; reunimos-nos com nossos discípulos e dizemos: Você tem que perdoar... Jesus diz que devemos perdoar. E lhes dou a base bíblica, e então entendem que devemos perdoar, ai vou lá e marco no capitulo do livro sobre discipulado a parte sobre perdão, e digo: já ensinei sobre perdão.. Ensinei nada, porque a grande questão do discipulado não é ensinar a obedecer o que Jesus ordenou, e não dizer o que Jesus ordenou, há uma radical diferença. O discípulo de Jesus é alguém que reaprende a viver, adquire novos; hábitos, prioridades, valores, visões da vida, cosmovisão, percepção de Deus, uma nova formatação para suas relações pessoais, uma nova relação com seu trabalho, com seu dinheiro, com sua família, com seu próximo, com seu país, com seu corpo, com a sua psique, com seu tempo, com a sua vontade, uma nova relação consigo mesmo, o discípulo de Jesus reaprende a viver, em todas as esferas e níveis do que sabemos vida conforme Jesus ensinou. A questão não é o quanto você sabe de doutrina, mas, se você é generoso, solidário, justo. A questão é o que é que define a sua identidade como pessoa, o que é imprescindível para que você se sinta satisfeito com você mesmo, por exemplo: Jesus disse que o que caracteriza uma personalidade não é a aparência, mas a essência do que vai ao coração, o fruto do espírito não é um cabelo mais liso ou mais crespo, o fruto do espírito santo é domínio próprio, bondade, generosidade, que certamente não vai afetar a aparência, mas o brilho dos seus olhos com certeza , e assim a grandeza do seu caráter: Martin Luther King Jr disse: “ o dia em que o sol se levantará na America e os nossos filhos e netos serão valorizados e considerados dignos não pela cor da sua pele, mas pela grandeza do seu caráter” isso é fala de um discípulo de Jesus. Discipulado tem haver com os conteúdos internos, é ensinar a viver a partir do batismo, que Paulo disse: Romanos 6:4 Portanto, fomos sepultados com ele na morte por meio do batismo, a fim de que, assim como Cristo foi ressuscitado dos mortos mediante a glória do Pai, também nós vivamos uma vida nova.

E esse é o simbolismo do batismo, o sepultamento do velho homem e a ressurreição para uma nova vida. No encontro com Jesus nascemos de novo! E o discipulado é aprender como Jesus viveu. É isso que Paulo fez em Filipenses 4:9

Tudo o que vocês aprenderam, receberam, ouviram e viram em mim, ponham-no em prática. E o Deus da paz estará com vocês. Por isso é que não se faz discipulado de púlpito, com cd, programa de radio, TV, com mega construção, isso é divulgar mensagem. No choque da vida, é que ensinamos, é quando você mostra como é sua casa, como são os valores, como se comporta, se o que fala é coerente com o que vive. Por isso que Paulo diz: ”.. e viram em mim, ponham-no em prática” e também diz a Timóteo: “Portanto, você, meu filho, fortifique-se na graça que há em Cristo Jesus. E as coisas que me ouviu dizer na presença de muitas testemunhas, confie a homens fiéis que sejam também capazes de ensinar a outros.” A questão é como ensinamos? Na vida publica, e não apenas, mas, no acompanhamento criterioso, do dia a dia de quem fala, como lemos um capitulo depois; “Mas você tem seguido de perto o meu ensino, a minha conduta, o meu propósito, a minha fé, a minha paciência, o meu amor, a minha perseverança, as perseguições e os sofrimentos que enfrentei, coisas que me aconteceram em Antioquia, Icônio e Listra. Quanta perseguição suportei! Mas, de todas essas coisas o Senhor me livrou! Quando ele diz:”você tem me seguido de perto, ele esta dizendo: “você tem uma lupa na suas mãos e verifica o que falo, minha conduta ao longo dos anos e mais do que isso, o propósito, ou intenções”(em outras traduções), o que denuncia que o que você faz indica quem você é. Portanto se faz verdadeira a frase que se atribui a Abraham Lincoln: você pode enganar a todos por algum tempo, alguns todo o tempo, mas não pode enganar a todos, o tempo todo. Cedo ou tarde a sua intenção se denuncia, o que habita lá no fundo do seu coração, esta nos olhos e nas ações. Paulo diz que Timóteo podia falar tudo dele, e colocar em pratica tudo o que viu nele, a mesma coisa ele diz a Tito: “fala o que convém à sã doutrina. Os velhos, que sejam sóbrios, graves, prudentes, sãos na fé, no amor, e na paciência;

As mulheres idosas, semelhantemente, que sejam sérias no seu viver, como convém a santas, não caluniadoras, não dadas a muito vinho, mestras no bem;

Para que ensinem as mulheres novas a serem prudentes, a amarem seus maridos, a amarem seus filhos” Tito 2:2-4 Ensinando a viver, a ser prudente, estar ocupada com o ensino diário. O que nos mostra que a sã doutrina não é justificação, salvação e afins mas pureza, amor, prudência, paciência, convivência familiar e por consequência com o próximo, é isso... E continua: Da mesma maneira, encoraje os jovens a serem prudentes.

Em tudo seja você mesmo um exemplo para eles, fazendo boas obras. Em seu ensino, mostre integridade e seriedade; use linguagem sadia, contra a qual nada se possa dizer, para que aqueles que se lhe opõem fiquem envergonhados por não terem nada de mal para dizer a nosso respeito.

Ensine os escravos a se submeterem em tudo a seus senhores, a procurarem agradá-los, a não serem respondões e a não roubá-los, mas a mostrarem que são inteiramente dignos de confiança, para que assim tornem atraente, em tudo, o ensino de Deus, nosso Salvador. (Tito 2:6-10). O que é fazer discípulos? Fazer discípulos é ensinar a viver. Não tem haver com religião, com espaço geográfico, cultura. É viver nos fóruns que a vida tem, com os contornos que ela obedece... Vivendo uma maneira cristã de viver a vida. Como Ensinar? Entrando nas relações de intimidade com as pessoas, ninguém ensina a viver de longe, é uma pena que as fontes divulgadoras da mensagem do evangelho tenham se tornado a fonte de alimentação da igreja do Senhor Jesus, ninguém amadurece espiritualmente com livros, não cresce ouvindo cd você pode inchar engordar, ficar confuso até, a gente só cresce no atrito da vida; Tem uma frase do Milôr ; “Quão admiráveis as pessoas que não conhecemos muito bem, de longe todo mundo parece bonito”. Hoje temos uma igreja que gira em torno de “gurus”, não queremos relacionamento. Jesus ensinou sobre uma rede afetiva relacional que nos habilita a descobrir limites. E crescemos quando somos chamados para fora da nossa zona de conforto, e só nos relacionamentos somos, é no relacionamento que aprendemos a andar a segunda milha, aprendemos a perdoar, abrimos mão da nossa vontade, sacrificamos os desejos, aprendo a negociar opiniões , caminhos, projetos, aprendo a dividir, repartir, a viver com menos... A ética começa no outro. Encontrando o outro opto pelo abraço, abro mão,sirvo, negocio, e é ai na hora da relação pessoal que eu cresço.Percebo porque é tão difícil esperar, dividir, abrir mão, dizer a verdade, acreditar naquilo que dizem ao meu respeito. Ninguém cresce nas relações virtuais porque elas se encerram num clique, elas insuflam futilidade, falsidade, e só crescemos nas relações do dia a dia. É na madrugada da lagrima, é na mesa, na conversa, no silencio que incomoda. Não se cresce no auditório, mas na intimidade. Então o que é o batismo? ; Eu vivia de um jeito, mas morri e agora estou na família de Jesus, agora posso aprender a viver, pegar uma lupa e colocar na vida do outro e seguir aprendendo. A nossa vida tem um ponto de ruptura, e foi no dia em que dizemos ao Senhor : como é que posso viver a minha vida? Nesse dia em que Ele nos deu a mão, e disse: o símbolo desse dia é quando fomos batizados e seguimos sabendo que somos discípulos do Cristo. Em; Hebreus 13:7 Lembrem-se dos seus líderes, que lhes falaram a palavra de Deus. Observem bem o resultado da vida que tiveram e imitem a sua fé. Como é que nos intencionalmente fazemos discípulos? Vivendo e entrando na intimidade das relações pessoais para que Cristo seja formado em nos enquanto vivemos essa experiência de amor de uns para com os outros. É a vida produzida pela ação do Espírito Santo e é sim, uma vida de sacrifício, mas é possível combater o bom combate e completar a carreira. Exige, custa, mas a bem aventurança do discipulado é viver com o melhor mestre e ser achado como amigo de Deus. A missão é essa fazer com que a grande comissão seja vivida por todos, ou seja, se tornar discípulo de Jesus em qualquer estrutura, cultura, língua, povo e nação. Viver além para ensinar a quem deseja andar como Ele andou!



Nenhum comentário: