23 de ago de 2010

Os que

Não ficam amarrotados de madrugada

Trabalham trinta horas em pé, sem reclamar

Nunca tiveram conflitos em família

Não gostam do sabor dos drinks

Sempre foram bons em Matemática, Física e Química

Preocupam-se em fazer a barba e manter o corte de cabelo

Conseguem falar em publico sem titubear

Permanecem de mãos dadas

São bons de garfo

São bons pra dormir

São bons companheiros, filhos,  irmãos, amigos, maridos e pais

Não foram enganados por suas próprias cobiças

Nem conheceram quem tivesse levado porrada



Os que



Mesmo pagando o aluguel se sentem sem um lar

Querem ser

Pensam ser

Sonham ser

Esperam pra ser

Terminaram e se acharam dentro de guerras mundiais

Fazem palavras cruzadas indiretas

Passaram por um namoro longo sem aborto

Passaram sem recuperação

Tem amigos na vizinhança, no trabalho, na escola e de infância

Trocam as coisas que Deus deu por um prato de lentilhas

Fizeram festa de formatura

Escrevem cartas para uma pessoa sem saber quem essa pessoa é

Dobram papel de carta

Não dependem do bom humor do chefe

Não pertencem a ninguém

São arrimo de família



Os que



São livres e amam isso

Se preocupam em combinar a cor das roupas fazendo mimetismo de amor

Ouvem rock na juventude, jazz na maturidade e clássico na velhice

Conseguem ser pais e avós

Ouvem clássico e jazz antes dos quarenta e rock depois

Sabem andar de moto

Sabem dirigir automóvel

Nunca se machucaram seriamente

Não falam muito

Fazem rir com suas piadas

Não conseguem achar alguém pra telefonar em meio aos muitos contatos na lista telefônica

Nunca estão totalmente solitários

Guardam lembranças

Jogam fora lembranças que não são mais suas



Os que



Não usam perfume

Sobrevivem com pouco dinheiro

Foram noticia na casa dos ex

São noticia sem qualquer motivo especial e depois quase morrem de arrependimento

Não se envaidecem quando tem sua foto publicada

Dormem sem precisar ler

Falam e dançam sozinhos no banheiro

Lavam e passam suas roupas

Sempre usam fio dental e filtro solar

Tem um bar que serve almoço na esquina de casa

Tem conta na padoca

São atendidos por um garçom sorridente quando fazem psiu

Sentem-se a vontade ao dizer que nunca leram um livro, não viram em filme de arte e nem sabem a diferença entre cubismo e impressionismo



Os que

Choram em secreto

Dispensam trocadilhos

Desprezam companhia

Conseguem matar com palavras

Voam num balão

Viram sua metade dormir muito cedo

Vivem longe de tragédias

Brigam num apartamento até se perderem de si

Se viram e cairam de joelhos

Não fizeram escândalo quando seu mundo ruiu

Não fazem pose, e mesmo assim tem classe

Dispensam comentários

Ganham dinheiro com a criatividade

(RE) Encontram amigos muito amados que estavam perdidos no tempo e na saudade

Que tem ouvidos e olhos para o bom

Vivem por aquilo que vale a pena morrer

 São como eu, como você e como todo mundo

Não se enganam

Sabem dizer não

Aprenderam a dizer sim

Vão e voltam e nunca mais são iguais

Sabem tocar um instrumento

Cantam canções de ninar

Recortam imagens do mundo e as pregam com tacahas imaginarias no pensamento

Conseguem terminar um poema sequer iniciado

Que Os Que saibam.

Um comentário:

Paulo disse...

"Os que" com lágrimas hoje semeam, terâo em breve uma colheita farta e muito feliz . :-) Paulo Ricardo