24 de ago de 2010

Um desenho como uma carta de amor.

Na minha vida de mãe, e tendo como contemporâneos alardeados na mídia Nardonis, Suzanes e Brunos tenho poucos mestres. Lucas, no entanto, certamente é um deles (que mesmo sendo o meu filho tem sido um mestre acima de qualquer duvida). Uma dessas raras figuras que admiramos não somente pela sua maneira arrebatadora de corações, mas também pela forma como se relaciona com o mundo, sempre carinhoso, luminoso, colorido e ao mesmo tempo o retrato da euforia de quem ainda não se corrompeu com o sistema que a gente vai vendo por ai, a cada intervenção que faz na vida de “tumumundo”.


Meu filho inicialmente pés quentinhos, carinha encantadora, fez sua estréia como desenhista pos moderno ao apresentar a obra intitulada; “O FUTULO”, inspirado no universo poético de nos dois dentro do ninho, traz a mesma afetividade que encontramos na obra (do a até as pinceladas) e na figura da Mãe passarinho; eu que vos escrevo leitores amigos do blog me apresento, Camila.


A pedidos, mãe e filho conversam sobre a realização desse desenho que alem de ser singelo e essencialmente sutil, pode ser entendida como “uma carta de amor”







PS: No desenho eu, ele e mais uns sorrindo voando "indo bucá a filicidade da pincessa lá no céu gondão.."

-Mãe a gente vamo bucá a sua lua?


-Não Lucas a lua não entra nesse desenho, ta de dia não podemos voar quando fica escuro, e a lua vem quando ta escuro, lembra que a mãe já ensinou?


-Mãe você ta com medo do ssiculo?


-Porque a pergunta Lucas?

-Ah! Mãe, sou seu heloi e salvo você, vou transsiformá no heloi mais bavo pra salvar você.

- Lucas, você já se transforma... Alem disso me salvou de quase tudo.


Então meus queridos sei que assim caminha a humanidade, já dizia o filosofo James Dean. E, em relação a essas formidáveis e assustadoras mudanças me vem aquela frase de Marshal McLucan, enunciada há 50 anos- Ao ver uma borboleta deslumbrante a voar, a larva disse; “Jamais me transformarei num monstro desses”.

E, dito isso, se transformou.

Nesse caminho, aqui fica registrado o meu obrigada ao meu pequeno grande mestre.

Nenhum comentário: