10 de jul de 2010

Utilidade publica




O amigo e leitor do blog Rodrigo Quintas, pessoa cabeça,coração com quem flerto sobre assuntos editoriais e/ou autorais me disse que o que escrevo não tem utilidade publica. Pausa dramática, muito carinho, delicadeza, suspiro profundo e a resposta;
Não me importo com a crítica, o que escrevo se não serve pra ninguém, serve para mim. E é para curar a cabeça das idéias e ideais que me tomam por inteiro, por quase todo o meu tempo. Se meu texto não te agrada, é bem simples; ELE NÃO FOI FEITO PRA VOCÊ, PASSE PARA OUTRO. OU FECHE A JANELA DO BLOG E VÁ LER SCHOPENHAUER, MAURICIO DE SOUZA, ESTADO DE MINAS, OU SEI LÁ O QUE...
Fica a dica pra quem quer que seja.

Noutro tempo; “Estou cansado dessa sua filosofia de botequim”. Olha que o autor da frase tem ligação consangüínea com a filosofia e pessoas que se assentam nestes lugares – nada contra ou a favor, ok - é só pra pontuar o quase holocausto de uma origem. Acho desnecessário.
Quero dizer com o post que sou como sou e vivo pra fazer sorrir o amado da minha alma Jesus, que graças a Deus tem bom humor e me entende antes mesmo que eu fale alguma coisa, tenho as minhas questões e particularidades. Há que ter sabedoria e delicadeza para lidar comigo... É como ter uma BMW, se não quer pagar pela manutenção, mude para um passat e não enche a minha paciência pôh!!!

Nenhum comentário: