26 de dez de 2008

Pro Papai Noel .

Sabe, Papai Noel, crescer é difícil, né ? Me lembro de quando eu era uma garotinha, naquela idade em que ainda achava que você era aquele velhinho barbudo vestido de vermelho, que nem a Coca-Cola ensinou ( descobri isso da popularização dessa sua imagem pela coca-cola de um jeito tão engraçado que o senhor ia morrer de rir- até apostei..) , que vinha de trenó deixar presentes pela chaminé, apesar de lá em casa nem ter chaminé. Me lembro da expectativa pela sua visita, que eu nunca via, mas nunca me decepcionava. Da família reunida. Do vovo Dario trazendo a arvore pra gente montar e o Rosckie ( cachorro do tio DeDé) comendo os enfeites.
Mas como começei esse relato dizendo: Crscer é dificil!
Às vezes eu acho que é quando nós começamos a perceber que tem coisas vão dar errado, mas mesmo assim não sabemos como evitar. É quando percebemos o quanto estamos frágeis em ralação à vida. O quanto temos que aprender a nos conformar.

Mas eu não quero deixar de acreditar, Papai Noel. Por favor, não me deixe desistir jamais. Eu aceito crescer, sei que é inevitável, mas não me deixe perder a ternura. Tenho pena daqueles que me perguntam, “até que idade você acreditou em Papai Noel?”. Ora, façam-me um favor! Não acreditar em você? No dia em que ficamos tão cínicos, não vale mais à pena, tudo perde a graça.

Por isso eu queria falar com você, Papai Noel. Queria agradecer por esse Natal maravilhoso. Obrigado por no meio dessa doidera em que vivemos nos lembrar de coisas tão simples e importantes como o amor. A união. A família.

Eu agora vou passar meu aniversario e depois dele tem ano novo e sei que você já vai começar a pensar no ano que vem, pois quando a gente menos espera, o Natal tá aí outra vez. Então por favor, Papai Noel, me faça sempre esse favor: não permita, nunca, que eu deixe de acreditar.



Ps: Cesar o que é de Cesar.
Obrigada Iana (muito sumida e muito querida) sobre o ensinamento do crente prepotente, que postei no meu texto: "Ativista do Rock"
Era isso.




Uns beijos.

Um comentário:

Iana Coimbra disse...

Quer dizer que virou blogueira? Que bom que meu texto ganhou eco por aqui.

Bjs um pouco menos sumidos. ;)