13 de ago de 2016

Eramos estas. Somos. Eu.

Ser boa em física e não sentir saudades da minha mãe no meio do silêncio de um café qualquer. Conseguir ingresso pro show do Vander Lee e amá-lo naqueles instantes. não chorar vendo a foto do meu primeiro namorado. Decorar todas as falas do Nelson Rodrigues e perder três quilos. Ter coragem. Um cachorro manso.ter sempre Três reais pro pão de queijo.

Viajar sozinha nem que seja pra São Paulo. Ler  e não achar chato. Assinar o Telecine e escrever à máquina. Aprender todas as letras dos mitos do jazz e fazer uma faculdade. Ler a parte de política do jornal. Não sentir culpa. Respirar. Doar alegria. Gostar da pedagogia do sofrimento.
Não trancar o IBE. Treinar baliza na ladeira e não odiar o moço da autoescola. Aceitar a viagem do Lucas mesmo com medo. Não parar o Amoxil antes de sete dias. Ter coragem. Filhos. Três reais pro pão de queijo.
Ver a peça da Tais Araujo e o filme da garota "Selena". Fazer análise e marcar pilates.Dançar nas festas e não só no quarto. Renovar o passaporte e mochilar pela Europa.consultar o Airbnb. Desfilar num carnaval e ficar descalça.
Ir de escada e não de elevador. Viajar pra Jeri  e só comer peixe. Soltar o cabelo nos pilotis. Estudar violão. Beber.  amar o meu pai/mãe  além dos erros. dar o tempo correto do condicionador. Depilar.
Não ficar sem graça com a ex-mulher do meu ex. Gravar os últimos capítulos de Liberdade Liberdade. Recortar matérias de turismo e deixar na geladeira. Comprar Frontal. Marcar de ir à Feira dos Produtores com tempo e não comer
Pastel. Deixar bilhetes de amor pela manhã e tomar sol. Não depender dos meus pais.
Não gastar metade do salário comprando coisa pros outros. Não ter medo de outro parto. Não achar que ter filho vai fazer todo mundo esquecer de você e que você nunca mais vai trabalhar. Não comer o pote inteiro de sorvete.  Ir de bicicleta e não de ônibus . Terminar o livro do Dostoiévski sem chorar. Só fazer trinca de ás e de três. Casar. 
Não odiar as crianças que não convidam seu filho pras festinhas. Não odiar os pais dessas crianças. Tomar banho de mar pelo menos uma vez por ano e doar sangue. Ver o programa do Silvio Santos. Pensar na morte.
Brincar de carrinho com o  filho. Achar legal brincar de carrinho com o filho. Ler com ele. Ficar com ele sem fazer nada. Ter vida pessoal ao mesmo tempo. Achar isso possível. Ter coragem. Três reais pro pão de queijo.
Deixar o Rivotril pra emergências. Repensar o conceito de emergências. Sair do Facebook. Retornar telefonemas. Cortar o cabelo. Contribuir com missões pra sempre. Respirar e ter unhas feitas. Lembrar dos sonhos de manhã. Gostar de música baixa até envelhecer.
Escrever. Fazer álbum físico da infância do Lucas. Viajar pra um lugar sem wi-fi. Achar bom viajar pra um lugar sem wi-fi. Gravar o meu pai antes que ele morra. Ler. Separar a dor e o rancorpilates. Mochilar pela América. Ser animada nas festas. Assinar a “Piauí”. Não ter medo de trovão 
Tomar banho de banheira demorado. Não falar pra ninguém porque pega mal.
Responder pro Rafael sobre cinema russo. Parar de beber Coca-cola. Fazer uma tatuagem de cruz. Escrever a carta pro Lucas adulto. Querer ter outro filho. Conseguir ter outro filho. Ver “Filme pipoca ”. Não ter medo do parto. Ver meus sobrinhos nascerem. Não ter medo de ficar louca. Desistir de ter unhas feitas com gel. Investir em shampoo bom.
Sair do Instagram. Trocar o ônibus pela bicicleta. Desenhar a altura do Lucas na parede. Almoçar com uma amiga uma vez por semana. fazer trilhas. Tirar selfies. Deixar o cabelo crescer. Contribuir com a semana do livro. Fazer Papanicolau. Voltar a amar a minha mãe depois da ofensa.
Aprender a fazer feijão e biscoito amanteigado. Ver “Game of thrones” e comer coisas cruas. Levar Rafael no cinema. Chorar. Entender de árvore e passarinho. Não depender de Rafael. Comprar discos e vitrola. Escrever as cartas.
Dançar nem que seja no quarto. Parar de comer pão de queijo. Fazer outra tatuagem. Não mandar nudes com cabeça. Parar de tomar Red Bull. Correr. Não mentir que está correndo se você só correu 3 vezes em 5 meses. Ver séries tirar habilitação. Pensar na morte.
Ir ao samba. Sambar. Tomar uma cerveja pra que isso seja possível. Talvez tomar duas. Sair do Whatsapp. Fazer mamografia e torcer pra Erundina levar a presidência da Câmara. Entender de drinks. Suar no sexo casada. 
Acompanhar o envelhecimento do meu corpo. Tirar o coração da alcachofra. Parar de chorar. Contribuir com os Médicos Sem Fronteiras.
 Ver “Gritos e sussurros”. 

dizer não.
Saber que se está na metade, pode ser cheio outra vez. Desistir de provar pra família do Lucas por parte de pai que eu venci sozinha e não entreguei os pontos. Não desistir do amor. Ligar pra Dra Camila e marcar exame. Não depender de ninguém que Deus não ordene. Sentar no chão sempre que eu quiser.  ouvir “Passarim” e me lembrar de coisas. Gostar do Obama.
Depender de quem se ama.
Ter coragem.
Netos.
Três reais pro pão de queijo

Nenhum comentário: