31 de jul de 2013

Direito de Resposta

Dizem por aí que eu não presto que eu não sou de nada, que eu me esqueci de dizer não sei o quê, de fazer não sei que lá, de beijar três vezes a face, de ligar na hora exata, de comemorar tal data, de trazer o leite, de trancar a porta, de comprar presente, de apagar a luz da sala, de ouvir segredo, de abraçar mais forte.
Reclamam que eu sou esquecido.
Que eu sou esquisito.
Que eu sou atrasado.
Um desastrado.
Um quase cafajeste.
Distraído, inconseqüente, indeciso, inconsistente, insuficiente, egocêntrico, egoísta, confuso, complicado, despreparado, sumido, mimado, imaturo, estúpido, inabilidoso, lerdo, surdo, bobo, chato, duro, seco, torto, mórbido e por ai vai.
Falam tão mal de mim que não dá nem pra repetir aqui. 
Ia ficar feio. 
(Certas coisas são impublicáveis.) 
Tudo bem.
Eu sei que tenho alguns defeitos. 
Vá lá.
Muitos defeitos.
Que seja.
Eu podia ser mais atento.
Admito.
Devia ser mais romântico.
Sem dúvida.
Mais presente. Mais bonzinho. Mais adivinho. Mais perfeito.
Concordo.
Mas você pensa que agradar é fácil?
É teoricamente improvável, praticamente impossível, é um trabalho de louco, façanha pra herói de Hollywood, é uma chance em milhões, coisa que só por milagre.
Agora eu exagerei um pouco?
Desculpa, eu não queria culpar ninguém, só fiquei um pouco empolgado, mas juro que nunca mais acontece.
Aliás, nem era de você que a gente estava falando, era de mim, não era?
Então.
Continuando.
Eu sei que às vezes eu dou bobeira. Faço besteira. Perco oportunidade. Passo batido.
Tem hora que eu fico doidinho, perdido, todo errado, confesso. 
Mas não pense que é falta de interesse. 
Eu tenho feito o que posso. 
A minha finalidade é sempre essa.
Quem, afinal, não desejaria ser um alguém ideal?
Era tudo que eu queria.
Só me falta um pouco de jeito.
E certa compreensão da sua parte. 
Por que você não esquece os meus defeitos? E considerar a minha humanidade, que tal?
A gente podia pular esse pedaço e passar logo ao que interessa: você abre o seu coração, olha pra mim com mais carinho, um pouquinho mais de boa vontade, e pode até rir das minhas besteiras que eu não ligo. Aí a amizade vai passar pra saudade e no fim vai nos pegar de jeito, o jeito nosso bom, do silencio de nos dois.
Eu estou aí pra isso.
Meu nome é, (diga o seu nome) e procuro um amigo pra caminhar comigo. E se Deus abençoa pode virar  uma historia de amor.

O que é que você acha?


Nenhum comentário: