26 de mar de 2013

Humor.


Protestantismo Pluralista: Entre janelas e passarinhos..



A Associação Associada da Ação da Cia do Ócio Social é um órgão que cada vez mais mostra sua importância no meio teológico evangélico do protoprotestantismo evangelical. Afinal de contas, como se sabe, sob os efeitos da Porcaria Portaria Ministerial 1.418/98, programas stricto sensu que obtiveram bons conceitos da Capes foram considerados reconhecidos a partir da avaliação de 1998. Reconhecimento oficial que particularmente ocorreu no meio evangelicalista não-católico-apostólico-romano com programas da EST/UMESP que, à época, estumespestificaram todas as outras instituições protestantes de ensino teológico que começaram então a almejar pelo reconhecimento de seus cursos.

Sendo assim, a Associação Associada da Ação da Cia do Ócio Social foi criada para evitar que salafrários sem-vergonha,  vigaristas, pregadores picaretas, fraudadores de diplomas, detratores amorais, oportunistas diversos, teóricos fajutos, docentes mercenários, santos do pau oco, intelectuais de fancaria, biblicistas impostores, maquiadores de Lattes etc. etc. e demais n#*$#%*jentos aproveitassem a oportunidade para se passarem por teólogos de respeito, enviando propostas de validação de cursos de teologia para os órgãos competentes do MEC, do FINEP, da CAPES, do CNPQ, do SERASA e do FMI.

Eu estava, então, em reunião da Associação lendo coisas na internet e ouvindo o presidente explicar que a reflexão teológica academicamente orientada não deve se pautar exclusivamente pelo dinheiro direito canônico, mas pela realidade brasileira, quando um passarinho pousou na janela. Hábil debatedor, o presidente pegou o “gancho” e perguntou: — Será que nosso embasamento teológico pode explicar esse fato? As respostas, incluídas na ata da reunião, comprovam a pluralidade da inteligência protestante em nosso país:

Teólogos Calvinistas: Porque o passarinho foi predestinado para pousar na janela.

Teólogos Socráticos: Passarinho? Janela? Só sei que não sei.

Teólogos Ultra-Calvinistas: Porque a janela foi predestinada para ser pousada pelo passarinho.

Teólogos Kantianos: Ele seguiu o imperativo categórico próprio dos passarinhos. É uma questão de razão prática.

Teólogos Ultra-Hiper-Calvinistas: Porque nós fomos predestinados a explicar porque o passarinho pousou na janela.

Teólogos Tomistas: Silogisticamente falando, para proceder à resposta, devemos primeiro definir os termos, deliberando se a palavra expressa uma ideia genérica e universal de “passarinho”, ou se o escolasticismo já traz em seu bojo um conceito de “passarinho” logicamente baseado em premissas suficientemente claras.

Teólogos Ultra-Super-Hiper-Mega-Calvinistas: Porque a predestinação está predestinada a predestinar passarinhos a pousarem em janelas.

Teólogos Pragmáticos: Dane-se tudo!!! O que importa são os fins. Concretizado o fim de pousar na janela, é irrelevante discutir os meios que o passarinho utilizou para isso.

Teólogos Naturalistas: Porque é da natureza dos passarinhos pousar em janelas.

Teólogos Construcionistas: Porque as janelas foram construídas socialmente para que passarinhos pousassem nelas.
Teólogos Oportunistas: Aproveitamos para informar que as inscrições para o vestibular de Ciências da Religião do Mauquensy foram prorrogadas até o próximo dia 30.

Teólogos da Libertação: A atual conjuntura da crise do Capital, assim como o atual estágio das forças produtivas exigia uma nova classe social de passarinhos, capazes de pousar na janela.

Teólogos Newtonianos: 1) Passarinhos em repouso tendem a ficar em repouso; 2) Passarinhos em movimento tendem a permanecer voando; 3) Passarinhos, quando voam, por causa da atração gravitacional exercida pela terra, precisam eventualmente pousar, ocasião em que retornam ao estado de repouso.

Teólogos Darwinistas: Ao contrário do que pensam os criacionistas, no decorrer de grandes períodos de tempo, os passarinhos têm sido selecionados naturalmente, de modo que, agora, têm uma predisposição genética a pousar nas janelas.

Teólogos Criacionistas: Ao contrário do que pensam os darwinistas, desde o início de tudo, os passarinhos têm sido criados por Deus, de modo que, agora podem pousar em janelas, assim como depois do dilúvio puderam pousar em terra seca.

Teólogos Existencialistas: Entre o Ser e o Nada, o que há é o momento. A existência do passarinho consiste em sua intencionalidade de pousar na janela.

Teólogas Feministas: Não era um passarinho! Era uma passarinha! E ela fez o que o fez como forma de repúdio aos gestos exibicionistas, tipicamente machistas, daqueles de sua espécie que tentam convencê-la de que, enquanto passarinha, jamais teria a habilidade suficiente para pousar na janela.

Teólogos Céticos: Dizem que o passarinho pousou, mas será que pousou mesmo? Talvez tenha sido só um reflexo na janela, se é que tinha janela no local. Sei não... não dá para confiar nisso não.

Teólogos Fundamentalistas: Os fundamentos da verdade indicam realmente, sem sombra de dúvidas, que o passarinho pousou na janela. Se alguém não crê nisso é porque é liberal. O liberalismo teológico realmente é um problema em nosso meio.

Teólogos Agnósticos: Não é possível conhecer a verdade, pois há dúvidas se o passarinho realmente pousou na janela. A incerteza há de pairar eternamente sobre essa questão. E mesmo se tivesse pousado, quem saberia o motivo? O coração do passarinho pode ter razões que a própria razão desconhece.

Teólogos Hedonistas: Porque o passarinho quer desfrutar do prazer de pousar em janelas.

Teólogos Frankfurtianos: A crítica se justifica dada a questão instrumental imposta pelos mentores de uma arte de massas que transformou a imagem de um passarinho na janela em mais um produto da indústria cultural.

Teólogos Tucanos: Esse negócio de passarinho na janela é trololó de petista.

Teólogos Petistas: Apenas pousou porque era um passarinho, um companheiro. Se fosse um tucano teria privatizado a janela.

Rubem Alves: Um passarinho me contou que carrega sua alegria nas asas. As asas se sustentam pela liberdade do vento. A alegria do vento é o voar. O passarinho quando para de voar descansa na janela entreaberta. Porque a janela é o espelho da alma.

Martin Luther King: Eu tive um sonho. Vi um mundo no qual todos os passarinhos serão livres para pousar em janelas, sem serem discriminados por isso, nem questionados seus motivos.

Líderes Pentecostais: O passarinho na janela foi uma revelação profética que mostra que... mostra que... Hamal`Kalahama... Nhalin Guaestra... revelação que diz por profecia... que o Twitter vai se juntar com o Windows!!!!

Líderes da Presbiteriana Unida: Essa resposta deve ser dada pelo passarinho.

Líderes Neopentecostais: Por uma oferta de 10% você pode se libertar do sofrimento e receber essas penas tiradas do passarinho que pousou na janela, especialmente ungidas e oradas pelo missionário de joelhos, diretamente no Monte Sinai, lá em Jerusalém, na Terra Santa de Israel.

Líderes da Presbiteriana Independente: Essa resposta deve ser dada pelo presbitério.

Líderes Batistas: Na nossa identidade denominacional, o importante é ver que vantagem podemos obter, ou com o passarinho, ou com a janela.

Líderes da Presbiteriana do Brasil: Essa resposta deve ser dada pelo Augusto Nicodemos.

Líderes da Adventista: Se o voo e o pouso do passarinho aconteceram no sábado, foi um pecado, porque ele deveria estar guardando o dia de descanso. Se o fato ocorreu em outro dia da semana, ele estava louvando a Deus.

Meninao de cinco anos: Porque sim.

Menino de dez anos, com estilingue na mão: Cadê? Cadê?

Nenhum comentário: