11 de jan de 2013

Com vocês; A radiola du passarin

Sexta.
Foi na madrugada que eu ouvi uma versão; coisa-de-Deus a coisa mais linda dessa musica que tá no link pra vocês.
A radiola du passarin.

No prá clicá!, tem tradução...

Então é isso.
O textinho abaixo é a coisa mais bunitinha pós teatro magico. Uma coisa.
Olha eu sou tão dengosa... né?!
rs.





Pra clicá! (Tradução da radiola du passarin)


Quanta mudança alcança o nosso ser.


Posso ser assim, daqui a pouco não.

Posso ser assim daqui a pouco?

Se agregar não é segregar.

Se agora for, foi-se a hora.

Dispensar não é não pensar.

Se saciou, foi-se embora.

Quanta mudança, daqui a pouco...

Se lembrar não é celebrar.

Dura-lhe a dor, quando aflora.

Esquecer não é perdoar.

Se consagrou, sangra agora.

Tempo de dar colo, tempo de decolar.

O que há é o que é e o que será, nascerá.

Nasss... será?

Reciclar a palavra, o telhado e o porão.

Reinventar tantas outras notas musicais.

Escrever um pretexto, um prefácio, um refrão.

Ser essência, muito mais.

Ser essência muito mais.

A porta aberta, o porto, a casa, o caos, o cais.

Se lembrar de celebrar muito mais.

A poesia prevalece, a essência, a paz, a ciência.

Não acomodar com o que incomoda.

Vou, vou engarrafar essa dor, vou engarrafar a saudade.

Bendizendo ela vira beleza.

Gentileza gera gentileza.

    ps: Atenção! Há tensão!

Nenhum comentário: