25 de out de 2012

O Voo do besouro

Ao recordar da minha infância, logo lembro que na fazenda do meu tio eu me deparava a cada dia com um tipo de inseto. Cada qual com sua esquisitice e aparência amedrontadora. Mas ainda assim, existiam certos insetos que me intrigavam, como os besouros.


Na verdade acho que os besouros sempre foram, de uma forma ou outra, figuras presentes em grande parte da minha vida. A famosa banda britânica “The Beatles”, em sua tradução seria “Os besouros” e suas músicas, juntamente com todo o grupo em si, estavam sempre presentes nas reuniões familiares. Meu pai é um daqueles “beatlesmaníacos”, que acabou passando sua paixão para outras gerações.

Motivos suficientes para investigar sobre a vida desses insignificantes, mas extraordinários insetos, eu tinha. E além de tantas razões, sempre gostei de observá-los, apesar do terrível medo. Ainda que de longe, vigiava como andavam, voavam e comiam. Para mim, que naquela época era uma criança, estes eram momentos de muito encanto e assombro com aquelas criaturinhas destrambelhadas, que eu não sabia de onde vinham, nem para onde iam, mas sabia que em época de caqui maduro, eles sempre apareciam.

Foi então que recentemente, num destes domingos de sol tímido e muitas nuvens no céu, enquanto eu olhava pela janela do meu quarto e saudava o novo dia, sem querer fui invadido pelas lembranças dos besouros que tanto me atormentavam.

No meio daquelas imagens nostálgicas, o Espírito Santo como o narrador da minha história, rasgou o silêncio e disse suavemente em meu coração: _ observe o voo do besouro.

É maravilhoso quando Deus rasga o silêncio dessa forma e resolve falar por meio da criação. Semelhantemente aos discursos de Jesus, sobre observar os lírios do campo e as aves do céu, quando Deus usa a própria criação para se comunicar conosco, espera-se sempre que venha uma valiosa lição.

Conectei na internet e logo comecei a uma breve pesquisa sobre o assunto. Descobri que o vôo do besouro é uma possibilidade teórica que só funciona na prática. Contam que há muito tempo, vários dos melhores cientistas e engenheiros aeronáuticos, recrutados dentre os mais brilhantes e expressivos em várias partes do mundo, reuniram-se para estudar o besouro, Estudaram com redobrado afinco esse curioso e desajeitado inseto, vindo a constatar que sua aerodinâmica era tremendamente errada, sua superfície exageradamente alta e portanto bastante deficiente, além do seu peso muito bruto e excessivo.

Após deliberarem sobre a sua potência de vôo também visivelmente fraca, afinal suas asas eram pequenas demais e seu cérebro microscópico, incapaz de enfrentar as complexas tarefas do vôo, os cientistas concluíram e provaram por A+B, após uma série de elaborados cálculos e gráficos, que tal aberração da natureza, jamais poderia voar.

Entretanto, mesmo com tantas evidências contrárias, a grande verdade é que os besouros voam.

Sinto que vale a pena te dizer que já não importa se um dia deliberaram sobre você dizendo: “você é fraco”, “você não consegue”, “você não tem capacidade”, “você nunca será alguém” ou ainda “seus sonhos são altos demais para alguém como você.”

Observe o voo do besouro: talvez o grande segredo do voo bem sucedido dos besouros esteja no fato que eles nunca deram ouvidos para aquilo que os outros diziam sobre eles, portanto tenha a convicção que para Deus não há impossíveis e mesmo que você seja uma impossibilidade cientifica e esteja cheio de limitações, apenas creia que tal como os besouros, você também pode levantar seu vôo contrariando todas as evidências.

Eu não sei quais são as limitações que hoje te impedem de prosseguir, mas não importa se elas as físicas, financeiras, psíquicas ou espirituais, porque independente de tudo isso, pela fé asseguro que Deus pode fazer o impossível acontecer chamando à existência as coisas que não existem.

I coríntios 1;27 – Deus escolhe as coisas loucas desse mundo para envergonhar os sábios e escolhe as coisas fracas para envergonhar as fortes.”



Shalom,

Camila Dorchete.

Nenhum comentário: