10 de fev de 2012

Lembrança





Conheci um senhor que sobreviveu a dois campos de concentração durante a segunda Guerra Mundial. Um na Alemanha por ser judeu e depois outro, na Rússia coitado, por ser alemão. Eu ainda era criança, e me lembro dele lá em casa contando que enquanto os presos mais atléticos morriam feito moscas, os intelectuais franzinos, mas que tinham vida interior, sobreviviam a todos os maus tratos. Seguiam vivendo apesar de tudo, num mundo criado dentro de suas mentes e coração.

Nenhum comentário: